10 de julho de 2008

Programação Cultural em Aracaju: EXPO, JAZZ & REGGAE & mais JAZZ!!!


Sumário
PROgRAMAÇÕES CultURAIS
1 - quinta - Exposição no Espaço Norcon Decide
2 - sexta - JAZZ no Capitão Cook,
3 - sábado SMIRNOFF ICE nas férias
4 - dia 15.07 Philippe El Hage e James Bertisch:
PROJETO JAZZ ORIENTAL no Teatro Tobias Barreto
5 - Poesia de Laura Riding

==

nesta 5ª, 10.07







EXPOSIÇÃO ALDEMIR MARTINS – DE TODAS AS CORES

Será aberta no próximo dia 10 de julho, às 19h00, no Espaço Cultural Oviêdo Teixeira (Central de Vendas Norcon Decide), a Exposição Aldemir Martins – De Todas as Cores. Sob a Curadoria de Genilson Brito, a mostra será promovida pela Fundação Oviêdo Teixeira e é composta por gravuras que retratam algumas das obras mais importantes de Aldemir e revelam um pouco da fase áurea de um dos mais importantes pintores brasileiros do século XX.
As 10 gravuras escolhidas para compor a exposição fazem parte de um conjunto de 20 giclées sobre tela lançadas em 2005, pouco antes da morte do pintor, que ocorreu em fevereiro de 2006. Para compor esta série de gravuras, foram selecionadas algumas das pinturas mais representativas da obra de Aldemir Martins, muitas delas, pertencentes ao acervo do artista, como o Gato Azul, sobre o qual Aldemir Martins declarou: “Uma obra que não me canso de visitar. Ela ilumina a casa onde Cora e eu moramos, no bairro do Ibirapuera, em São Paulo.”
No ano que antecedeu a sua morte, Aldemir realizou a sua última grande exposição no MASP – Museu de Arte de São Paulo. A mostra foi uma retrospectiva das 7 décadas de dedicação às artes e ficou marcada pelo lançamento do livro-catálogo “Aldemir Martins por Aldemir Martins”, da Editora Best Point. Lá estão todas as fases e temas de um dos grandes mestres da pintura brasileira, em capítulos divididos por décadas e, dentre eles, um especialmente dedicado à obra não convencional de Aldemir Martins que, além de pintor, era desenhista, gravador e ceramista.
Embora seja conhecido como o pintor dos gatos, a grandeza e a genialidade da sua obra vai muito além de qualquer título que o associe a uma única temática do seu trabalho, pois pintou o Brasil como nenhum outro artista da sua geração. Suas cores vibrantes, o traço preciso e a sua paixão por temas genuinamente brasileiros são a marca registrada do seu trabalho ao longo de setenta anos como pintor, desenhista, gravador e ceramista. A Exposição “Aldemir Martins de Todas as Cores” é uma homenagem da Fundação Oviêdo Teixeira ao Grande Mestre da Pintura Brasileira, cinco décadas depois do prêmio de melhor desenhista na Bienal de Veneza de 1956.


Serviço: Exposição Aldemir Martins – De Todas as Cores
Onde: Espaço Cultural Oviêdo Teixeira (Central de Vendas Norcon Decide)
Quando: de 10 de julho a 10 de agosto de 2008.
Vernissage: 10 de Julho, às 19 horas.
Visitação: Segunda a Sábado, das 9 às 19 h e Domingos das 9 às 13h.
=====

sexta, 11.07
Mais uma noite de



JAZZ no Capitão Cook !!!

"Jam Session"
com:
Davysson Lima (saxofone)
Thiago Valadão (guitar)
Manoel Vieira (piano)
Junior di Lima (baixo)
Dinho Dog (baixo)


e mais.... Participação especial Nando Barros: Arranjador, compositor, baterista e guitarrista e músico da banda sinfônica dos Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro.Tem uma técnica apurada no Jazz-Fusion além de um grande músico ejá tocou com muitos músicos famosos no RJ...
É nesta sexta 11/07 às 23h no Capitão Cook e custa só R$ 10,00.

Realização: Boca de Forno Produções!!!


=====


sábado, 12.07





Smirnoff Ice nas Férias:

O reggae é a bola da vez nesse sábado na Live!

O "Smirnoff Ice nas Férias" continua esquentando as férias durante todo o mês de julho e início de agosto. O evento que começou no último sábado lotou a Live. Maria Scombona, The Baggios e A Fábrica animaram a noite regada a Smirnoff Ice dobrada.
Agora é a vez do Reggae garantir a noite daqueles que procuram diversão. A Noite do Reggae, a segunda do "Smirnoff Ice nas Férias" e traz a sergipana Reação e a alagoana Vibrações, que vem a Aracaju lançar seu novo DVD. O evento acontecerá na Live, a partir das 22 horas.

Diversão e promoção:
Smirnoff Ice dobrada a noite toda!
As mulheres que chegarem até as 23h não pagam a entrada!
E os 100 primeiros que adquirirem o ingresso ganham uma dose de Vodka Smirnoff Black ou Johnnie Walker Red!!

Os ingressos estão à venda na

Porto Bebidas, Rua Deputado Carvalho Déda, 662

(ao lado do Bradesco da Francisco Porto).

Este evento é uma realização da Boco de Forno Produções.
Maiores informações: 3246-2085.



Atrações:
Dia 12/07: Noite do Reggae
Reação e Vibrações (AL) - Lançamento do DVD

Dia19/07: Noite Retrô
Mamutes, Plástico Lunar e Os Ordinários (PE)

Dia 26/07: Noite do Surf Music
Beach Boys Cover e Vox

Dia 02/08: Noite Eletrônica
DJ Rafael Carvalho (RJ), DJ Mingo Morallez, DJ Leo Levi e DJ Angelis Sanctus (Pragatecno)

==

e na próxima 3ª feira,15.07.2008,




CONCERTO DE JAZZ ORIENTAL

Philippe El Hage - piano

&



James Bertisch - percussão



no Teatro Tobias Barreto,

às 20h30

INGRESSO: 1 Kg de alimento.



====

POESIA

(de novo) Laura Riding
e um dia

“Mas quanto dura um dia?
Tanto quanto o amor, dizem uns.
Mas o amor vai embora cedo,
Antes que o amanhã e a morte se manifestem.
E quanto tempo dura o dia-a-dia?
Uns dizem desde sempre.
Mas começando quando?

No mesmo instante em que pela primeira vez os olhos se
arregalaram e não viram tudo - Num não tão tarde quando,
pela última vez
O tempo durou não mais que um dia,
Um dia de adivinhar:
Por quanto tempo é permitido
Chamar de tanto o que é tão pouco?

But how long is a day? Some say as long as love. But love leaves off early, Before to-morrow and death set in. How long has day on day been? Some say for ever. But starting from when?
From no sooner than first when Eyes opened far and saw not all _ From no later than last when Was time for no more than a day, A day of guessing: How long is it permitted So little done so much to call?

Do poema: "and a day"
==

outra:
"Laura Riding escreve uma poesia do pensamento. Mas pensar é aqui algo de muito especial: a capacidade para inventar expressões envolventes é imensa: daí que se possa falar na “espiritualidade do mar”. Isto é a forma de ser poema. E aquilo que trava o processo de reflexão. Ela escreve:" (texto completo no site: http://www.arlindo-correia.com/020505.html )

Não fosse isto um poema
Eu falaria sobre o falar
Escreveria sobre olhar (e sobre o escrever)
Que se guardaria para o outro, outros
Se constituiria para todo o mundo
Ou para ninguém, contendo em si sua força viajante
Sem precisar de nenhuma graça do tempo
Para resgatá-lo
De uma perda total.

Ou eu lidaria, escreveria assim
Esforçando-me para construir, quero dizer
Algo ligando nossos entendimentos
Numa realidade de palavras, de eus, de outros
Mais dizível, mais penetrável, habitável, aberta

&

POESIA

Assim é a vida:
Pode ser
interpretada
&
vivida
de diversas maneiras.
Nós é que colocamos os pontos:
E isso faz toda a diferença...




RECEBIDO de uma amiga, pela internet, com outra pontuação : )
mas o mesmo sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário