9 de agosto de 2008

Agenda Cultural em Aracaju, de 10 a 17.08.2008

Saudações!!!

Repassando informações culturais...

você gosta de baixar albuns pela internet?!!
toma lá...

http://www.venenosdorock.blogspot.com/
albuns raros da Psicodelia roquenrrouzística sesSENtentista. Discos, em sua GRANDE maioria NÃO lançados em CD.


AGENDA da SEMANA

1 - CINE CULT exibe: o filme israelense Exuberante Deserto

2 - Rua da Cultura

3 - Cia de Dança Déborah Colker apresenta CRUEL...


4 - Clube do Jazz

5 - SARDANA apresenta: BOSSA NOVA, SAMBA JAZZ, BLUES e MUITO mais...

6 - Quarta do Riso

7 - ORSSE no TTB

8 - Chorinho nos Rádios e Ao Vivo

9 - I Festival de Danças Árabes

10 - Jorge Vercilo

11 - Exposições (colhido do site INFONET)

12 - POESIA de Cecília Meireles

Domingo, 10.08
CINE CULT
exibe:
o filme israelense Exuberante Deserto

no CINEMARK, sessões todos os dias às 15h00

Sinopse1974. Dvir (Tomer Steinhof) está prestes a completar 13 anos, quando deverá ter seu Bar Mitzvah. Ele mora em um kibutz, em Israel, juntamente com sua mãe Miri (Ronit Yudkevitz) e o irmão mais velho. Miri é frágil e mentalmente instável, o que faz com Dvir faça o melhor para ajudá-la no pouco tempo que tem para ficar ao seu lado.

Leia a crítica de Ivan Valença no site da Infonet: http://www.infonet.com.br/cinema/ler.asp?id=76465&titulo=Filmes_em_Cartaz

MAIS INFORMAÇÕES no site ADOROCINEMA: http://www.adorocinema.com/filmes/exuberante-deserto/exuberante-deserto.asp

===

Segunda-feira, 11.08

PROGRAMAÇÃO DA RUA DA CULTURA

Doce Amizade

Lagarta de Fogo

Tchandala

Alfa Rudá

Grafites

Passarela do Xadrez

Passarela do War

ONDE? Mercado Municipal de Aracaju

QUE HORAS? 18:00

QUANTO? De Graça!!!!!!!!!!

de sua página no Orkut: http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=829915&tid=5230977833890747131&start=1


(Apareça, aproveite e prestigie)

===

terça-feira, 12.08


Tetro Tobias Barreto apresenta:


'Cruel'



Cia Deborah Colker


Deborah Colker propõe um enigma: uma série aberta de elementos narrativos que só se completa com o olhar do espectador. Corpos em movimento que exigem a decifração, um novo jogo entre o Acaso e a Necessidade. Histórias ordinárias, daquelas que se repetem invariavelmente na vida das pessoas, e que envolvem amores, amantes, família, laços que atam e desatam. Histórias quase sempre cruéis. Foi assim que nasceu seu novo espetáculo, com estréia marcada para o dia 24 de abril no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, seguindo para São Paulo em setembro.
“As histórias estão ali para serem apreendidas por cada um de um modo particular”, sublinha a coreógrafa carioca, que desenvolveu elementos narrativos com a colaboração de Fernando Muniz, com quem Deborah dialogou durante o processo de criação. É nos movimentos e na expressão dos 17 bailarinos da companhia que a Cia lança as peças do jogo, sem qualquer compromisso com a explicitação do sentido, mas sim com a exigência de sua produção. Mas está tudo na cena. Com o auxílio do diretor de teatro Gilberto Gawronski, os movimentos expressivos ganharam forma e intensidade.
Foi em Nó, espetáculo que estreou na Alemanha em 2005, partindo depois para cidades brasileiras, que Deborah sentiu uma mudança na sua linguagem: a presença mais forte da dramaturgia, de metáforas e sentidos. Hoje ela entende, era um caminho sem volta. “Depois de Nó, onde já trabalhamos com a narrativa a partir de diversas fontes, Cruel era uma direção natural”, diz Deborah, que entre um trabalho e outro ainda criou, em 2006, Maracanã, por ocasião da Copa do Mundo.
A cultura teatral já estava impregnada no trabalho de Deborah Colker há pelo menos 24 anos. Foi em 1984 que a coreógrafa desenvolveu seu primeiro trabalho com a dramaturgia, fazendo a direção de movimento de “A irresistível aventura”, espetáculo de Domingos de Oliveira, estrelado por Dina Sfat. Depois disso, atuou como diretora de movimento em diversas peças. Era, portanto, uma idéia antiga de Deborah e de João Elias, diretor executivo da companhia e parceiro de longa data, trazer essa experiência teatral para os espetáculos do grupo. “Assim, para trabalhar com essas referências do teatro, o que fizemos em Cruel, na inexistência de um libreto, foi carregar os movimentos de intenções e sentidos”, aponta Deborah Colker.
Numa construção coletiva, que durou cerca de um ano e meio, outros elementos foram incorporados ao novo trabalho, como um texto de Fausto Fawcett e uma história escrita por Fernando Muniz. “Todas essas colaborações acabaram servindo como munição nesse processo criativo, sendo absorvidas através da dança e criando uma costura nas situações que se apresentam”, conta Deborah. “Mas o que se verá não é novela, não é teatro. É dança”, pontua a coreógrafa.
O espetáculo de dança, portanto, se desenvolve em quatro principais momentos, em dois atos.
No primeiro deles, há a preparação para um baile, com gestuais, situações e objetos da experiência cotidiana. Assistimos a uma espécie de apresentação dos protagonistas dessas muitas “situações” que entrarão em cena.
Em seguida, à volta de um grande lustre redondo e rendado, que ocupa o centro do palco, e ao som de uma valsa de Vivaldi, de Nelson Gonçalves ou mesmo das palavras leves e roucas de Julie London, transcorre, em clima de reminiscências, o grande baile, com pas-de-deux, movimentos líricos e a lembrança viva dos romances nos grandes salões: a paixão, o arrebatamento, o encontro do par perfeito, da cara metade. Estamos diante de uma formatura? De um casamento?
Aos poucos, pequenas transformações de climas e intensidades denunciam o curso do tempo. Toma lugar em cena uma grande mesa móvel (de 5 metros de comprimento). É em torno dela que se desenvolvem as relações familiares, os encontros e desencontros que marcam as mutações dos afetos.
Com esse grande objeto em cena, Deborah Colker mantém evidente uma constante em seu trabalho: a relação primordial entre espaço – e a interferência no espaço - e movimento. “É sempre o espaço que propõe para mim uma nova relação com os movimentos”, diz Deborah. Um palco vertical (Velox), uma grande roda (Rota), a estrutura de uma casa tomando conta da cena (Casa) e uma centena de vasos espalhados pelo chão (4 por 4) foram algumas das apostas da coreógrafa nesses quase 15 anos de companhia.
No segundo ato de Cruel, um jogo de grandes espelhos que se movimentam empresta um tom surrealista ao espetáculo. Fragmentos dos corpos atravessam as estruturas, pessoas se entremeiam e se confundem. Nesse cenário de reflexos e luzes, cada um está mais só e experimentando o acúmulo de suas histórias pessoais. “Em frente ao espelho é só você. E sua história se reflete na sua própria imagem”, sublinha a coreógrafa. Sua nova aposta está no encontro entre o violento e o amoroso, o cruel e o sensível. Esse é também o encontro entre o lúdico e o trágico, o romance e a dor. O encontro entre pessoas.
Os grandes parceiros da companhia estão presentes em Cruel: Gringo Cardia, que assina a direção de arte e cenografia; Jorginho de Carvalho, que comanda a iluminação, e Berna Ceppas, responsável pela trilha sonora que funde composições originais feitas por ele e em parceria com Kassin, colagens de música clássica a expoentes da produção urbana contemporânea, criando um corpo musical ao mesmo tempo diversificado e coeso.
Os figurinos, uma leitura ao mesmo tempo clássica e contemporânea dos trajes de grandes bailes, ficam por conta do estilista Samuel Cirnansck, grande destaque nas semanas de moda de São Paulo, em sua primeira colaboração para o grupo.
Assim, Cruel, o 9º espetáculo da Companhia de Dança Deborah Colker, segue seu próprio caminho - parte de uma história em pleno curso. Neste ano, a Cia. comemora 15 anos de parceria com a Petrobras, sua patrocinadora exclusiva.

mais informações: http://www.infonet.com.br/agenda/ler.asp?titulo=Teatro_Danca&id=76168

Dias 12 e 13 (3ª e 4ª)
às 21 horas
Informações: (79) 3179-1490
R$ 70 (parte inferior) e R$ 35 (meia - parte inferior)
R$ 60 (parte superior) e R$ 30 (meia - parte superior)

==

quarta-feira, 13.08

IMPERDÍVEL!!!


das 20 às 22h00, todas as quartas-feiras.


==

e por falar em JAZZ...conheça o

SARDANA & Zenóbio Alfano
ristorante e piano bar

funcionando das quartas aos sábados, a partir das 18h30 (BOHÊMIA DOBRADA até às 21h00!!!) com a exclusiva música do pianista de carreira internacional ZENÓBIO ALFANO, que apresenta o melhor do BLUES, JAZZ e da BOSSA NOVA.

==

QUARTA DO RISO

a partir das 21 horas
Local: Bar Coqueiral
Passarela do Caranguejo
Preço R$ 6,00 (antecipado até às 19h) e R$ 10,00 (após 19h)

MAIS INFOS: http://www.infonet.com.br/agenda/ler.asp?titulo=shows&id=76429
==

quinta-feira, 14.08

==

sexta-feira, 15.08

Ouvir CHORINHO em Aracaju

Na rádio APERIPÊ,
AM - Programa Domingo no Clube,
apresentado por Sérgio Thadeu, o programa, criado por seu pai há quase 22 anos, é uma verdadeira celebração ao Choro, buscando sempre apresentar novidades ou resgatar clássicos do fundo do baú। Um verdadeiro banquete pra quem gosta do ótimo Choro! Vai ao ar todos os domingos das 7 às 9h00।contato: domingonoclube@gmail.com
==
FM, Programa Choros e Canções, apresentado por Ricardo Gama, o programa choros e canções vai ao ar na Aperipê FM sempre às 18h, de segunda à sexta। contato: chorosecancoes@aperipe.se.gov.br

==

CHORINHO AO VIVO

Cantinho da Boemia (Vieira) às sextas- feiras, a partir das 20h30 Av. João Ribeiro,1416 - Bairro Santo Antonio, próximo à subida da ladeira.

==


Chorinho do Inácio aos sábados, a partir das 16h00 e domingos, a partir das 14h00 Rua Canadá, 343 - B. Novo Paraíso (é uma transversal da Rua Rio Grande do Sul).


==


No Parque da Cidade - Recanto do Chorinho (domingo, a partir das 17h00)

Egnaldo - Bandolim e voz e percussão
Souza Cavaquinho
Saul Violão
Dão violão
Rivaldo & Nancy - voz

http://recantodochorinho.50webs.com/index.htm

O telefone de contato do Recanto do Chorinho é 8135-2330.

=======



Festival Tchaikovsky

ORSSE comemora dois anos sob a direção do Maestro Guilherme Mannis

No próximo dia 15 de agosto, a Orquestra Sinfônica de Sergipe realizará, em noite de gala no Teatro Tobias Barreto, o Festival Tchaikovsky, comemorando dois anos da direção artística do Maestro Guilherme Mannis. Em concerto inteiramente dedicado ao repertório do compositor russo, foram convidados dois solistas de destaque junto às orquestras brasileiras e internacionais, o pianista paulista Álvaro Siviero e o violinista carioca já conhecido do público sergipano, Daniel Guedes. Serão apresentadas três peças de destaque de Tchaikovsky: além do tradicional Capricho Italiano, op. 45, serão interpretados os Concertos para Piano nº1 e outro para Violino.

Consolidação: esta foi a marca dos dois anos de direção de Guilherme Mannis frente à ORSSE, desenvolvendo projetos importantes de colocação no grupo no cenário artístico nacional. O maestro assumiu o cargo de Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Sinfônica do de Sergipe em agosto de 2006, desenvolvendo com o grupo um trabalho pioneiro para o Estado, inserindo-o na vida cultural da população através da criação de projetos importantes como as Temporadas Anuais de Concertos da Orquestra Sinfônica de Sergipe, o projeto educacional “Sinfonia do Saber” realizado em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura e Secretaria de Estado da Educação, uma série de concertos ao ar livre dentro do projeto Domingo no Parque realizado pela Prefeitura Municipal de Aracaju, a vinda de solistas virtuosos, reconhecidos pela crítica nacional, propiciando o aperfeiçoamento dos músicos e maior entendimento das obras, a apresentação do programa de rádio Sala de Concerto na Aperipê FM inteiramente dedicado à música clássica e à divulgação das atividades da Orquestra Sinfônica de Sergipe, entre outros. O diretor artístico apresentou ainda, para Sergipe, grandes nomes da música clássica e instrumental para realizar concertos com a orquestra, como Amaral Vieira, Rosana Lanzelotte, José Luís de Aquino, Emmanuele Baldini, Daniel Guedes, Laszlo Mezö, Francis Hime, Wagner Tiso, bem como regentes como Roberto Tibiriçá e Abel Rocha. A orquestra, sob sua batuta, participou ainda das gravações do filme “Orquestra dos Meninos”, sob a direção de Paulo Thiago, e realiza regularmente concertos em locais inusitados da cidade, como em parques, auditórios, orla turística, entre outros, no intuito de buscar novos públicos para comparecerem ao teatro.

Convidados: o pianista Álvaro Siviero especializou-se na Universität für Musik und darstellende Kunst de Viena e na Hochschule Mozarteum em Salzburg, com Noel Flores e Georg Steinschaden. Também tem passagens pela Academia Nazionale de Santa Cecília em Roma, estudando com Piero Tramoni, além de estudos de aprofundamento com Annibale Rebaudengo, em Milão. Sua paixão pelo piano, porém, remonta à infância, quando, aos sete anos, já se apresentava em público. Dois anos mais tarde, recebe seu primeiro prêmio: a Medalha de Ouro do governo do Estado de São Paulo para jovens talentos. No ano de 2007, coroando sua dedicada carreira artística, apresenta-se em concerto exclusivo para o Papa Bento XVI durante sua visita ao Brasil, interpretando obras de autores alemães, poloneses e brasileiros. Como diretor artístico, esteve sob sua supervisão, a série de concertos do Embratel Convention Center e a temporada de concertos internacionais do Teatro Palácio Avenida - HSBC, em Curitiba. Músico que participa ativamente do cenário brasileiro como camerista e solista, foi responsável por realizar o recital comemorativo aos 454 anos do aniversário da cidade de São Paulo, no Pateo do Collegio, no ano de 2008. Neste mesmo ano assume a direção artística da temporada 2008 na série de Concertos Internacionais do Teatro São Bento, em São Paulo.

Daniel Guedes, por sua vez, é um dos mais versáteis talentos de sua geração. Aluno de Detlef Hahn na Guildhall School of Music de Londres e de Pinchas Zukerman e Patinka Kopec, na Manhanttan School of Music, como bolsista da Capes e da Fundação Vitae. Daniel Guedes foi ainda assistente de Pinchas Zukerman e Patinka Kopec no Young Artist Programme no Canadá. Com intensa carreira como solista das principais orquestras brasileiras e do exterior sob a regência de maestros como: Pinchas Zukerman, Isaac Karabtchevsky, Irwin Hoffman, Lior Shambadal, Roberto Minczuk, Gustavo Petri, Silvio Barbato, Roberto Tibiriçá, entre outros. Tocou em locais como Carnegie Hall de Nova York e o National Atrs Centre, em Ottawa, Canadá.. Gravou o concertino de Guerra-Peixe com a OSB em 2003 e o concerto de Henrique Oswald com Isaac Karabtchevsky. Compositores como Nelson Macêdo e Aluisio Didier vêm escrevendo obras dedicadas a Danieltem Sua formação teve início aos sete anos no Rio de Janeiro, sua cidade natal, e atualmente, além da carreira artística, desenvolve trabalho como professor do Conservatório Brasileiro de Música, no Rio de Janeiro, e da Universidade de Brasília. Recentemente lançou o CD Impressões Brasileiras. Em sua segunda atuação com a ORSSE, Daniel interpretará o Concerto para Violino e Orquestra de Tchaikovsky.


Orquestra Sinfônica de Sergipe

Teatro Tobias Barreto
Festival Tchaikovsky

Guilherme Mannis, regente
Álvaro Siviero, piano
Daniel Guedes, violino
15 de agosto de 2008, sexta-feira, 20h30
Ingressos: R$ 5 (inteira), R$ 2 (meia)
Informações: (79) 3179 1480/96
sinfonica@cultura.se.gov.br
Realização: Secretaria de Estado da Cultura/ Governo de Sergipe

==

sábado, 16.08


I Festival de Danças Árabes de Sergipe

às 19h30,
no Teatro Atheneu - 3179-1910.
Entrada: 1 kg de alimento não-perecível.
Produção: Flávia Kahyna de Cia de Dança Carpe Diem.
Informações: 9954-6422

domingo, 17.08

JORGE VERCILO, no Teatro Tobias Barreto

Cantor e compositor começou a cantar em bares por volta dos 15 anos. Participou de alguns festivais sem maior repercussão no país até que em 1995 teve a chance de gravar seu primeiro CD, "Encontro das Águas", produzido por Renato Corrêa.
Em 97, gravou "Em Tudo que É Belo", seu segundo LP pela Continental, com uma estética mais pop. Em 2000, a EMI lançou o CD "Leve", cuja faixa "Final Feliz" de sua autoria obteve êxito, tendo sido gravada em duo com Djavan, a quem o cantor é sempre comparado por conta da semelhança do timbre. Em 2002 lança “Elo” com sucessos nacionais como: “Que nem maré”, “Homem Aranha” e “Fênix” (parceria com Flávio Venturini) tema da minissérie “A casa das 7 mulheres” da Rede Globo.
Outro tema global deste CD foi “O remo das águas claras” para a nova versão do Sítio do Pica-pau Amarelo. Seu quinto trabalho “Livre” foi lançado no final de 2003. Esse disco fechou a trilogia de “Leve”, “Elo” e “Livre”.
Seu primeiro DVD também é lançado junto com “livre”. Com o disco “Signo de ar”, de 2005, Vercilo estreou com novas parcerias: Ana Carolina, Dudu Falcão, Nico Rezende e Torquato Mariano.



SERVIÇO
ESPETÁCULO – JORGE VERCILO
LOCAL – TEATRO TOBIAS BARRETO
DATA – 17 DE AGOSTO DE 2008
HORA – 20 horas (O teatro abre as portas sempre com 1 hora de antecedência – neste caso às 19horas........... NÃO SE ATRASE)
INGRESSOS - INTEIRA 50,00 MEIA 25,00 (APRESENTE NA PORTARIA O DOCUMENTO QUE COMPROVE A MEIA ENTRADA)

===

poesia de Cecília Meireles

4o. Motivo da rosa





Não te aflijas com a pétala que voa:
também é ser, deixar de ser assim.

Rosas verá, só de cinzas franzida,
mortas, intactas pelo teu jardim.

Eu deixo aroma até nos meus espinhos
ao longe, o vento vai falando de mim.

E por perder-me é que vão me lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.


MAIS em: http://www.jornaldepoesia.jor.br/ceciliameireles.html

==

no SARDANA restaurante



do site INFONET

http://www.infonet.com.br/agenda/ler.asp?titulo=Outros&id=75744

Exposições que contecem nos espaços e galerias de artes de Aracaju.
17/07/2008 - 09:30
DO NEOREGIONALISMO AO ABSTRACIONISMO FORMAL. Exposição individual artista plástico Ismael Pereira. A mostra é composta de telas e cerâmicas.
Local: Galeria Jenner Augusto - Sociedade Semear - Rua Vila Cristina, 148.
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 09h às 19h.
Duração: até 22/Ago.

PROJETO FLORIVAL SANTOS. Coletiva dos artistas plásticos Bia, Cândida Cruz, Cris Assunção, Eládia Maria, Eliane Martins, G.Aguiar, José Carlos, Joselmo Lisboa, Kalvero, Margarida, Misael Pereira, Neuza Sales, Shirley Jacy, Sueli Nielsen, Walisson Pereira, Vanessa e Vera Oliveira.
Local: Cantinho Cultural dos Correios –
Visitação:
Duração: até 19/Ago.

NORDESTE. Exposição do artista plástico Ribeiro. São trinta e oito trabalhos realizados em óleo sobre tela, onde o artista procura ressaltar os costumes e as tradições do povo nordestino.
Local: Galeria de Arte Álvaro Santos - Praça Olímpio Campos, s/n.
Visitação: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e sábados das 9h às 13h.
Abertura: dia 18/Jul., às 20h.
Duração: Até 02/Ago.

O POVO E SEUS COSTUMES. Exposição do artista plástico Ribeiro.
Local: Galeria de Arte do Sesc Centro.
Visitação: segunda a sexta-feira, das 10h às 20h.
Duração: Até 08/Ago.

DE TODAS AS CORES. Exposição de gravuras do artista cearense, Aldemir Martins.
Local: Espaço Norcon Decide – Av. Oviêdo Teixeira, s/n.
Visitação: de segunda a sábado, das 9h às 19h e domingos, das 9h às 13h.
Duração: até 16/Ago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário