27 de outubro de 2008

Programação Cultural em Aracaju, de 27.10 a 05.11

Saudações!!!

Antes de repassar as informações culturais, dois dedinhos de prosa:

Uma coisa: Espero que os que recebam esse 'informativo', essa (mais uma) 'agenda cultural', também repassem. Se tivermos uma média de 10 'repasses', os 639 contatos para quem envio estarão repassando para 6.390 pessoas. Se esses repassarem para um média de 5 contatos, serão outras 31.950 pessoas recebendo informações que muitas vezes não fazem parte do anunciado na grande mídia.

Outra coisa: tentarei, na medida do possível, informar os contatos dos responsáveis pelos shows e eventos diversos divulgados nesse blog, para no caso de haver dúvida, a mesma possa ser tirada com os próprios organizadores dos eventos.

e uma 3ª coisa: tentarei disponibilizar a cada 'postagem', entre um evento e outro, fotos de quadros e outras artes de artistas locais. Começo com os trabalhos de Anita. que administra o blog


Aproveitem a semana!!!

Não percam o Jessier Quirino que se apresentará 3ª, às 19h na IMPERDÍVEL

III Feira do Livro!!!

GRANDE
abraço!!!

A
===

para quem gosta das artes plásticas, a Arte de

Mariana Salerno



==


S U M Á R I O


1 - Rua da Cultura, Mercado Municipal de Aracaju, Centro, segundas e sextas

2 -

2.1 - Arthur Moreira Lima em São Cristóvão

2.2 - Dia INTERNACIONAL DA ANIMAÇÃO

3 - Sardana & Zenóbio Alfano: vinho, JAZZ, Boêmia dobrada* BOSSA NOVA, SAMBA JAZZ e uma EXCELENTE Cozinha italiana!!!





4 - AGENDA do CHORO (com mais um lugar de apresentações de Choro, a CASA dos SONHOS pizzaria, no Siqueira Campos e um texto sobre as rodas de choro em Aracaju, da Daniela Moura)

4.1 - Irmão & Tonho Baixinho

+ convidado: Black Malê

4.2 - Grupo Imbuaça apresenta, de Clarice Lispector:

"A hora da estrela"

5 - Bicicletada, dia 31.10

5.1 - O Complexo Cultural O Gonzagão em parceria com a Cia. O mínimO, convidam...


5.2 - Dia mundial do VEGANO, no Parque da Sementeira, SÁBADO, 15h

6 - Dueto Cultural, no EMES, com


dia 31.10
Teatro Mágico

&
Naurêa


+

dia 01.11


Arnaldo Antunes
&
Maria Scombona


6.1 -



6.2 - Café Cultural no SESC, 03.11

7 - OSESP no Teatro Tobias Barreto, dia 05.11.2008

8 - Concurso de Marchinhas!!!

9 - Nando Reis e Os Infernais, no EMES

10 - C.H.A.M.A.

11 - texto de Antonio da Cruz

"A volta do mictório imperial, ou
como detonar um Museu de Rua"


12 - Poesia de Aglacy Mary, poetisa sergipana que lança o livro "A lavra" na III Feira do Livro


Breve, em Aracaju:


a

A G E N D A

segunda-feira, 27.10

tem


RUA DA CULTURA


Adriano Joy

Sensação do Samba

Insetside

Sisal Roots

PASSARELA do Xadrez, War, Magic, LP´s, etc


outras informações:

Pç Camerino, 210, Casa Rua da Cultura -

ruadacultura@gmail.com

===


(We belong together)


===

terça-feira, 28.10



III FEIRA DO LIVRO DE SERGIPE
A palavra guarda o mundo




VEJA ARTIGO NO Overmundo
http://www.overmundo.com.br/agenda/iii-feira-do-livro-de-sergipe-resumo-do-evento

A III Feira do Livro de Sergipe será realizada de 28 de outubro a 2 de novembro de 2008, das 10 às 21 horas, na Biblioteca Pública Epifânio Dória.

O evento, uma realização da Nossa Escola e do Governo do Estado de Sergipe, através da Secretaria de Estado da Cultura, é aberto a todo o público e tem como objetivo fomentar o cultivo da leitura e da produção literária em nosso estado, responsabilidade social abraçada por um número cada vez maior de cidadãos.

Diversos autores sergipanos participarão desse banquete literário, revelando a riqueza de produção realizada em nosso estado. Entre esses autores, membros da Academia Sergipana de Letras e do Conselho Estadual de Cultura.

A Feira também receberá personalidades de outros estados, a exemplo dos seguintes nomes:

JESSIER QUIRINO (PB) – “poeta por vocação, maturo por convicção”, esse arquiteto domina a arte de manter seu ouvinte ou leitor preso ao ambiente de sua palavra, sem nenhum gosto de sair dali.

LAURENTINO GOMES (SP) – autor de “1808”, um dos vencedores do Prêmio Jabuti 2008 com uma obra que revela “a invenção do Brasil” a partir da vinda da família real portuguesa para o Rio.

PAULO SCHETTINO (SP), doutor em Comunicação e cineasta, coordenou o recém-premiado (no Brasil e em Portugal) documentário Ora (direis) ouvir estrelas, baseado em Clarice Lispector.

IEDA DE OLIVEIRA (RJ) – doutora em Letras pela USP e especialista em Literatura Infantil pela UFRJ. Escritora e compositora agraciada com prêmios nacionais e internacionais.

Entre muitos outros...

Veja a programação completa no Overmundo:

http://www.overmundo.com.br/agenda/iii-feira-do-livro-de-sergipe-resumo-do-evento




===

No dia 28 de Outubro , comemora-se o

Dia Internacional da Animação

Em Aracaju as comemorações ocorrerrão com a Mostra do DIA, a ser realizada a partir das 19 horas no Cinemark, entranda Franca.

2 Horas de Animação ( 1 hora de Animação Nacional e 1 hora de Animação Internacional)
Veja a programação em:

http://www.abca.org.br/dia/filmes.html

Roberto Nunes
Cine Vídeo e Educação- Ações Culturais
(79) 3042-0229 Celular (79) 8123-7955
Rua François Hoald 700
Ed. Pirambu Apto 203
Praia da Atalaia
CEP 49037-000 ARACAJU-SE

===

da INFONET

Um Piano na Estrada traz Artur Moreira Lima a São Cristóvão


Na terça-feira 28, o caminhão-teatro do projeto Um Piano pela Estrada – Brasil Sertões, patrocinado pela CAIXA e Petrobras, estaciona na Praça São Francisco na cidade histórica de São Cristóvão para o concerto do pianista Artur Moreira Lima. O músico executará composições de Luiz Gonzaga, Beethoven, Bach, Pixinguinha, Chopin, Villa-Lobos, Ernesto Nazareth e Astor Piazzola.

Um Piano pela Estrada – Brasil Sertões tem como objetivo levar músicas eruditas e populares para várias cidades dos sertões brasileiros, especialmente para públicos que nunca tiveram ou raramente têm contato com esse tipo de manifestação artística. A estrutura do caminhão-teatro possibilita apresentações em cidades que não possuem teatros. O veículo é instalado em espaços públicos como praças, em frente a igrejas, pontos turísticos, reservas ecológicas, monumentos ou marcos históricos, aldeias indígenas, quilombos, etc.

ARTUR MOREIRA LIMA


às 20 horas

Praça São Francisco - São Cristóvão

Grátis

===

(Self-portrait)

===

quarta-feira, 29.10

de 4ª a sábado,

Sardana & Zenóbio Alfano: vinho, JAZZ, Boêmia dobrada* BOSSA NOVA, SAMBA JAZZ e uma EXCELENTE Cozinha italiana!!!


===

(Strange)

===
quinta-feira, 30.10


Grupo Imbuaça
apresenta:



de


"A hora da estrela"



temporada NOVEMBRO 2008

quintas, sextas e sábados, de 30.10 a 29.11.2008

às 21h00, no Espaço Imbuaça:

Rua Muribeca, nº 4, no Bairro Industrial

Inteira: R$ 20,00 / Meia R$ 10,00

===

Irmão & Tonho Baixinho

+ convidados:

Black Male


no

Teatro Lourival Baptista,
às 20h00


Ingresso: 1 brinquedo

===


a partir das quintas-feiras, Aracaju tem uma


AGENDA DO CHORO

texto (um resumo de sua monografia) de Daniela Moura Bezerra

“Rodas de choro” em Aracaju: uma discussão sobre o circuito do choro na capital sergipana.

Em um cenário nacional, Aracaju é uma das cidades em que é possível encontrar um número considerável de grupos de choro, conhecidos pela denominação de regionais. Foram identificados na cidade, durante o período da pesquisa, cinco conjuntos atuantes, sendo que quatro destes tocam em ambiente comercial (Grupo Tabajara, Recanto do Chorinho, Cantinho da Boemia e Grupo Renovação do Choro) e um em residência (Sarau da Família Argollo), as práticas destes grupos na paisagem urbana formam desta maneira, o que será chamado de circuito aracajuano de choro. Os grupos que pertencem a esse circuito se encontram organizados, no sentido de como se distribuem em seus espaços, de maneiras semelhantes, dividem as suas apresentações também de forma parecida, executam em suas rodas (como é chamado os encontros dos grupos de choro) os mesmos instrumentos e as mesmas músicas, compartilham os mesmo códigos, possuem formas parecidas de ver o mundo e proferem os mesmos discursos. O público desses locais, exceto o do Sarau, é semelhante. Nesses ambientes encontram-se jovens, famílias e, principalmente, antigos freqüentadores, pessoas que costumavam participar de rodas que aconteciam em ambientes que já não existem mais na cidade. Porém, a presença masculina se faz predominante. Cada um desses lugares mantém um público cativo, ou seja, os seus freqüentadores buscam o gênero somente naquele local especifico.


vejam esse vídeo com fotos dos chorões de Aju. Organizado por Daniela Moura:


==

No Siqueira Campos o mais novo espaço pra quem gosta de

Chorinho

todos os sábados de NOVEMBRO, DAS 20 às 0h00
com o grupo
MELÓDICOS DO CHORO
Taberéu (violão)
Odir (flauta doce)





Beto Nunes (pandeiro)
Edson (banjo e trompete)

==

CHORINHO no GULA&CIA

segue a composição do grupo de choro que está tocando todas as quintas-feiras no Gula&Cia:

Rivaldo (Tabareu) ........... Violão de 6 e 7 cordas
Edson ............................ Banjo e Trompete
Patrocinio ....................... Sax tenor
Paulo A. .......................... Sax tenor
Maestro Francisco ........... Trombone e Sax soprano
Silvino ........................... Flauta
Santos ........................... Pandeiro
Junior ............................ Percursão

contatos: Paulo Amaral,
79 8102-6826 --


===

(UNKNOWN_PARAMETER_VALUE)

===

31.10, sexta-feira


Cantinho da Boemia (Vieira 7 cordas)

às sextas- feiras, a partir das 20h30 Av. João Ribeiro,1416 - Bairro Santo Antonio, próximo à subida da ladeira.

AGUARDEM, dia 16 de novembro tem aniversário no


Cantinho da Boemia


==


Chorinho do Inácio

(foto tirada em um domingo à noite)

aos sábados e domingos, das 16h00 e às 22h00.

Rua Canadá, 343 - B. Novo Paraíso (é uma transversal da Rua Rio Grande do Sul, próximo à COHIDRO).


==

No Parque da Cidade - Recanto do Chorinho

http://recantodochorinho.50webs.com/index.htm


domingo,


CHORINHO das 17h00
às 19h00


Tarde no Parque com
a Banda do Chorinho.

Egnaldo - Bandolim e voz e percussão
Souza Cavaquinho
Saul Violão
Dão violão
Rivaldo & Nancy - voz

Contatos:
79 8135-2330

===


OUVIR NAS RÁDIOS

Na rádio APERIPÊ,

AM - Programa Domingo no Clube,

apresentado por Sérgio Thadeu, o programa, criado por seu pai há quase 22 anos, é uma verdadeira celebração ao Choro, buscando sempre apresentar novidades ou resgatar clássicos do fundo do baú। Um verdadeiro banquete pra quem gosta do ótimo Choro! Vai ao ar todos os domingos das 7 às 9h00।contato: domingonoclube@gmail.com
==

FM, Programa Choros e Canções,

apresentado por Ricardo Gama, o programa choros e canções vai ao ar na Aperipê FM sempre às 18h, de segunda à sexta। contato: chorosecancoes@aperipe.se.gov.br




===

MERCADO DO SAMBA

O NOVO PROJETO DA RUA DA CULTURA TODAS AS SEXTAS FEIRAS A PARTIR DAS 18h NO MERCADO MUNICIPAL

NO MESMO LUGAR DA RUA DA CULTURA.

VENHA PRESTIGIAR O MELHOR DO SAMBA FEITO EM SERGIPE.
DE GRAÇA!!!

===

Programa de Rock

Toda sexta às 20:00 em Aracaju pela 104,9 APERIPÊ FM –

VIA INTERNET em www.aperipe.se.gov.br

===

(espelho de Narciso)
===

e em SALVADOR/BA
Orquestra
Beatles de Câmara




===

sexta 31, em Aracaju, acontece o


==

no GONZAGÃO...


Agradecemos a divulgação(repasse) por e-mail e por outros meios


A PAZ INVADIU O GONZAGÃO!



O Complexo Cultural O Gonzagão em parceria com a Cia. O mínimO, convida a população para passar duas tardes diferentes, praticando atividades culturais que visam à paz, diversão e saúde.


Dia 29 - Jogos Cooperativos

Jogos não competitivos para divertir e integrar pessoas de todas as idades. Praticaremos a cooperação através de diferentes propostas lúdicas.


Dia 30 – Dança Yoga


Duas disciplinas unidas em uma pratica que visa unir corpo e mente. Dança, alongamento, respiração e relaxamento.

Das 15 ás 17h


No Gonzagão


Grátis! Para todas as idades!


Por favor vestir roupa cômoda para o movimento, trazer uma canga, seu copo (importante ingestão de água durante as atividades).Trazer frutas para compartilhar

Leia mais em:

http://consorciocultural.blogspot.com/2008/10/paz-invadiu-o-gonzago-vivncia-de-dana.html



===
sábado, 01.11





Dia 1º de Novembro, a partir das 15h, No Parque da Sementeira:

* Picnic Vegetariano
* Distribuição de Informativos e DVD’s
* Exibição de Vídeos


Compareça em nossa confraternização e informe-se.

Experimente comidas vegetarianas, aprenda receitas, tire dúvidas, converse conosco. Seja você a mudança que quer ver no mundo.


Quer nos ajudar?
Pergunte-nos como:
vida.vegana@hotmail.com

===



sexta e sábado


dias 31.10 e 1 º.11

Dueto Cultural

no espaço EMES



dia 31.10

Teatro Mágico
&
Naurêa


+

dia 01.11



O Dueto Cultural é um evento especial que, como o próprio nome sugere, acontecerá com shows de um artista de renome local e um nacional.



O show acontecerá no Espaço EMES no dia 01/11 - Arnaldo Antunes (Ex-Titãs) e banda sergipana Maria Scombona (SE). Também teremos DJ's e as bandas Capitão Parafina e os Haoles (BA) animando a festa.




Os ingressos estarão sendo vendidos a partir do dia 13/10 no stand situado no Shopping Jardins (próximo a loja Centauro).



Preço: Individual: R$ 20,00 e R$ 30,00 p/ dois dias (1º Lote). Camarote: R$ 30,00 e R$ 50,00 p/ dois dias (1º Lote).

Venda de Ingressos: Stand próximo à loja Centauro no Shpping Jardins

===

(Strange 2)

===

02.10, domingo



(da Infonet)

No domingo 02 de novembro, o Espaço Emes abre suas portas para receber o projeto Eu Faço Cultura com o show do cantor e compositor Nando Reis ao lado da banda Os Infernais, composta por Carlos Pontual (violão), Felipe Cambraia (baixo), Alex Veley (teclados) e Diogo Gameiro (bateria).

O show é dividido em duas partes: uma acústica e outra plugada em instrumentos eletrônicos. No repertório, o ex-Titãs e a banda mostram músicas do Luau MTV Nando Reis e Os Infernais (2007) e sucessos de trabalhos anteriores. Entre outras, "Sou Dela", "N" e "Espatódea, "Por Onde Andei", "A Letra A" e "Relicário".

NANDO REIS E OS INFERNAIS

02.11

às: 18 horas

No: Espaço Emes

R$ Individual: R$ 40,00 e R$ 20,00 (meia). Camarote (por pessoa): R$ 80,00 e R$ 40,00 (meia)


Ingresso: no local e na loja Stalker (Shopping Jardins)



===

segunda-feira, 03.11



===
dia 05.11

ARACAJU RECEBERÁ A OSESP


ORQUESTRA SINFÔNICA DE SÃO PAULO



Sob a direção artística de John Neschling, Orquestra fará 16 apresentações em 12 cidades do país, incluindo Aracaju


Turnê Brasil 2008.



Em Aracaju o concerto acontecerá dia 05 de novembro, às 21h, no Teatro Tobias Barreto.


Regente

John Neschling – regente –Nasceu no Rio de Janeiro em 1947. Seguiu a vocação para regência com Hans Swarowsky, em Viena, e com Leonard Bernstein, em Tanglewood. Dentre os concursos internacionais de regência que venceu, destacam-se os de Florença (1969), da Sinfônica de Londres (1972) e do La Scala (1976). No Brasil, assumiu a direção dos teatros municipais de São Paulo e do Rio de Janeiro e na Europa, foi diretor artístico do Teatro São Carlos (Lisboa), do Teatro de Sankt Gallen (Suíça), do Teatro Massimo (Palermo) e da Ópera de Bordeaux, além de ter sido regente residente na Ópera de Viena. Em 1996, na Ópera de Washington, conduziu Il Guarany, com Plácido Domingo no papel de Peri. À frente da Osesp desde 1997, somou importantes conquistas e fez turnês pela América Latina, Estados Unidos, Europa e por todo Brasil. Nas últimas duas temporadas, regeu diversas orquestras, como: Sinfônica da RAI de Turim, Orquestra Nacional da Bélgica, Orchestre de la Suisse Romande, Orquestra da Rádio Nacional Polonesa, etc. Dedica-se também à composição para cinema e teatro, sendo o autor das trilhas dos filmes Pixote, O Beijo da Mulher-Aranha, Lúcio Flávio – o Passageiro da Agonia, Gaijin, Os Condenados, Desmundo e da minissérie Os Maias.


PROGRAMA 2

05 NOV qua Aracaju, SE: Teatro Tobias Barreto – 21h00

JOHN NESCHLING regente

Cláudio Cruz violino


    M. CAMARGO GUARNIERI

Encantamento


    Max BRUCH

Concerto nº 1 para Violino em sol menor, Op.26


    Johannes BRAHMS

Sinfonia nº 1 em dó menor, Op.68


http://www.osesp.art.br/ / imprensa@osesp.art.br



===


“Visões periféricas"

de João Santos

'É um projeto cultural que estou dirigido: trata do documentário “Seu Duda” e o espetáculo "Lâmina”, que será apresentado no Centro de Criatividade, no dia 08 de Novembro de 2008, às 19h30. O referido documentário eu quero dar um alerta para a cultura popular que é muito forte no seu real contexto, como elemento imaginário em torno dos personagens, são visíveis na história os elementos ricos de espaço e tempo linguagem visuais nos entrevistados, cujo enquadramento, as durações e os enfoques afirmados com seu universo imaginários plasticamente elaborados, contemplativos, através do qual a temporalidade própria das narrativas possa transcorrer. Assim o Ducumentário busca o tempo e a escrita poética, alem das narrativas dos entrevistados e da exploração magnética do lugar, no interior sergipano, temos como personagem principal “Seu Duda”, músico, poeta e ator, em entrevista com três amigos de infância, o irmão e sua esposa contam como era sua vida da década de trinta até noventa, quando o personagem morava no interior e depois veio para Aracaju;” Seu Duda” se relaciona a uma figura de homem simples, criativo, a frente de seu tempo. “

“Lâmina” é um poema do ator e poeta José Bispo do Santos (Joby`s), adaptando para o teatro pelo Diretor João Santos, que vem buscando novas possibilidades do teatro experimental, como diz o próprio diretor “Um teatro de apropriação”, que propõe a instalação de uma reflexão do ser humano nos problemas sócios e econômicos, refletindo seu espaço através da poesia e da música, na qual, devem ser percebidas as suas condições, um claro posicionamento filosófico, que nasce da declaração do direito que o teatro tem de penetrar em cada ser humano e assim dialogar com o público que não optaram pelo contato com o trabalho do artista.

Um Abraço Espero todos lá....'


João Santos

===


AS ÚLTIMAS SEMANAS DE INSCRIÇÕES PARA O 4º CONCURSO NACIONAL DE MARCHINHAS CARNAVALESCAS DA FUNDIÇÃO PROGRESSO - PRÊMIO CARMEN MIRANDA



Envelopes serão aceitos até o dia 6/11 e resultado com as finalistas será publicado a partir do dia 20/11 .Site do concurso lançou a ferramenta "torcida virtual" em parceria com o BCYOU.com para os concorrentes fazerem campanha via web .Com prêmios de R$ 3 mil a R$ 18 mil e gravação de CD para os 10 finalistas.

O 4º Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas da Fundição Progresso

receberá inscrições somente até o dia 6 de novembro. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.concursodemarchinhas.com.br e na portaria do centro cultural. Pelo terceiro ano consecutivo o projeto recebe patrocínio exclusivo da PETROBRAS .

Em 15 dias de inscrições o concurso já recebeu marchinhas de 10 estados brasileiros: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Espírito Santo, Pernambuco, Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul e Mato Grosso. Os temas vão do romantismo e da saudade dos velhos carnavais à sátira política, passando por questões atuais do país como o "Pré-sal", nepotismo, dengue, meio ambiente, tecnologia, entre outros.

Para este ano o concurso buscou inovar, também, em tecnologia. Já está no ar o site do concurso em parceria com o BCYOU.com, o www.bcyou.com/marchinhas, que possui uma área exclusiva para divulgação de marchinhas em vídeo (via celular, webcam ou mesmo câmera digital), campanha das torcidas, transmissão de eventos de qualquer região do país. O objetivo é integrar os concorrentes e as torcidas, e incentivar as campanhas via internet. O site também possui chat em texto e em vídeo para dois ou mais participantes.

O resultado das dez músicas finalistas será divulgado na segunda quinzena de novembro. Até a última etapa do concurso está prevista a realização do "grande desfile do Concurso Nacional de Marchinhas da Fundição", nas ruas da Lapa, e a "finalíssima", que será novamente transmitida ao vivo pelo programa "Fantástico", da TV Globo, dia oito de fevereiro. A marchinha vencedora receberá R$ 10 mil em dinheiro; a segunda colocada leva o prêmio de R$ 5 mil; e a terceira R$ 3 mil.

Em seus bailes e ações de rua o concurso vai reunir alguns dos principais blocos e bandas carnavalescas do Rio, como Bangalafumenga, Orquestra Céu na Terra, Rio Maracatu, Cordão do Boitatá, Cordão do Bola Preta, além de João Roberto Kelly, comemorando dos seus 50 anos de carreira.

Este ano a presidência do júri fica a cargo do jornalista e pesquisador Sérgio Cabral. João Roberto Kelly, que ocupou o posto nos últimos três anos, passa a ser uma das atrações do concurso e o "presidente de honra" do júri. O corpo de jurados conta com o artista plástico e compositor Xico Chaves, a cantora Luciane Menezes, o músico e maestro Kiko Horta e o poeta Chacal.

Como o nome do prêmio anuncia, este ano o projeto homenageia Carmen Miranda , que faria 100 anos de idade em fevereiro do ano que vem, em pleno carnaval. As edições passadas celebraram Emilinha Borba (2005/2006), Chiquinha Gonzaga (2006/ 2007), Lamartine Babo (2007/2008), e somaram mais de 2.300 inscrições vindas de 23 Estados.

SERVIÇO

4° Concurso Nacional de Marchinhas Carnavalescas da Fundição Progresso -

Prêmio Carmen Miranda

Inscrições: de 22 de setembro a 06 de novembro

Edital: no site www.fundicao.org e distribuído em impresso na portaria da

Fundição Progresso (Rua dos Arcos, 24 - Lapa - Rio de Janeiro)

Resultados: finalistas - 20 de novembro.

Desfile de rua: 17 de janeiro de 2009

Lançamento do CD: 14 de janeiro de 2009

Grande final: 08 de fevereiro de 2009


Comunicação Regional Nordeste

Assessoria de Imprensa

Tels.(79) 9992-0203




===
poesia,

de Aglacy Mary, que estará lançando



Medida

Que tanto é um homem
Se me cabe nas mãos
No rigor e na leveza da palavra?
Se cabe no minuto do meu pensar
E na eternidade da minha dor?
Que tanto é um homem
Se me basta um meneio
Para percorrer seu corpo
E uma lágrima
Para penetrar as veredas de sua alma?
Que tanto é um homem
Se meu olhar vence a fronteira
Desverticaliza a cerca da diferença
E confunde sua certeza?
Que tanto é um homem
Se arde meu sangue em suas correntes
Carcereiras do discurso de sua memória?
Que tanto é um homem
Se de sua covardia
Faço as janelas que saem meu desejo?
Que tanto é
Que o meço assim
Em versos tão poucos?


===

texto de Antônio da Cruz


O IPHAN, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional sempre pareceu um fantasma assombroso, ou uma instituição invisível pelas suas ações lentas e certas visões anacrônicas; o Ministério Público Estadual às vezes assusta o cidadão pelas suas determinações variavelmente desestruturantes. Nessa esteira segue também a justiça, supervalorizada como racional, mas que se deixa levar por ciclones emocionais, dando margem para os cidadãos pensarem que suas decisões têm viés ideológico ou classista. Aliás, a Justiça brasileira mais do que nunca tem sido alvo da consciência crítica cidadã.

Vejamos o caso da Ponte do Imperador. Muitos foram os anos de abandono desse monumento. Durantes décadas ela serviu de dormitório aos sem-teto e de banheiro aos desocupados. Quando os turistas atraídos pelo seu simbolismo a adentravam, logo sentiam o cheiro acre de urina e outros odores desagradáveis. Ponte e rio coexistirão: ela, resistindo como pode, e o rio, por sua vez, com sua ação deletéria ininterrupta, a oxidando. A este enfrentamento se acrescente o fato de a água salgada combinada com a urina penetrar no concreto até atingir a armação de ferro, no interior da estrutura, pois a uréia contida na urina é bastante agressiva, ataca a alvenaria e oxida facilmente o ferro.

Passaram-se vários governos conservadores, e poucos se preocuparam em preservarem aquele monumento. A desatenção do IPHAN, por enquanto amenizando sua responsabilidade, justifica-se pelo fato de a Ponte não ser patrimônio tombado; é apenas considerada de interesse artístico e cultural. Este detalhe, fundamentalmente, permitiu à prefeitura atuar na sua preservação com aparato arquitetural contemporâneo, mas, respeitando a sua forma estrutural existente, chegando a iniciar a proteção do interior da Ponte montando uma estrutura delgada de metal e vidros amplos.

Segundo o que se tornou público, para ordenar a paralisação da obra, a retirada das placas de vidro e a conseqüente desativação do Museu de Rua ali existente, a Justiça acatou o pedido do MPE, Ministério Público Estadual, tomando como base um parecer do IPHAN, no qual, segundo a imprensa em geral, dizia que a obra seria inapropriada, porque geraria descaracterização da Ponte.

Voltemos no tempo.... Na década de noventa, a escritora Ana Medina com a dedicação típica de incansável memorialista, escreveu "Ponte do Imperador", livro republicado em 2005. Neste ínterim, o interesse sobre a Ponte se acendeu como fogo que se alastra em capim seco. Em 2003 concluiu-se a restauração patrocinada pela Petrobras que a prefeitura a executou através da EMURB. Sugeriu-se que a idéia de Museu de Rua, então circulante na prefeitura, fosse aplicada à Ponte com uma maquete histórica. Desta forma se justificaria a manutenção permanente da Ponte, além de reforçar a segurança no aspecto do acesso. Esta brilhante idéia foi aceita pela gestão Marcelo Déda.

A maquete de aproximadamente 4,5mx5m (quatro metros e meio por cinco metros), pesando ao redor de 300 quilos, foi inaugurada em 14 de julho de 2004. Materializava-se assim em Aracaju esta concepção de Museu de Rua. Dinâmico e muito mais acessível. Modelo que se diferencia do tradicional. Esse precisa muito empenho dos gestores para levar público até ele. Já a intimidade do público com o Museu de Rua da Ponte do Imperador foi imediata. O carinho da população para com a Ponte foi o toque inicial. Daí se deu a sinergia que levou as pessoas naturalmente a visitá-lo. Exposições, saraus e outras manifestações culturais acontecerem em largo período.

O Museu de Rua ali era vivo, ativo e atraente, somente carecia da montagem de uma proteção física para o seu espaço interno, e, por conseqüência, garantir a segurança e a saúde dos funcionários e visitantes. No primeiro momento foi instalado um painel de lona sintética, opaco e pintado, que não permitia se ver o rio, até se decidir como seriam instalados os vidros. Se no período que foi tirada a proteção do painel de lona opaco, por ser inadequada, tivessem os funcionários que ali trabalhavam acionado o Ministério Público do Trabalho, pelo fato de ter demorado e de ali ficarem sob o vento fustigante, é possível que aquele Ministério obrigasse a prefeitura a protegê-los com dispositivo semelhante àquele empregado pela prefeitura.

Curiosamente, nunca houve manifestação oposicionista pela presença do painel opaco por quase dois anos, mas logo detonaram o painel transparente que, claro, permitia a visão plena do rio e deixava perfeitamente delineada a estrutura da Ponte. Pela dedução que se faz agora é possível se imaginar que adversários políticos, somando as picuinhas pessoais, tenham aproveitado o clima de eleição, desde o ano passado, para criar a celeuma. Ou teria sido mera coincidência esta sentença sair em ano eleitoral com aspecto de birra política?

Dados importantes foram ignorados, inclusive o fato de a Ponte ter sido visitada por mais de 30 mil vezes entre a inauguração do Museu de Rua até a parada para melhorar o ambiente interno com as placas de vidro. As visitas tinham como motivo principal a presença da maquete que, num projeto da arquiteta Ana Libório e executado por Marcos Bustamante, também arquiteto, reproduziu a Aracaju entre os anos 20 e 40. Um delírio para todas as idades; útil tanto para estudantes quanto para a própria Ponte, pela freqüente companhia daquelas pessoas até às 21h, inclusive aos domingos.

Diante da maquete, visível era satisfação do escritor Murilo Mellins, que se queixa sempre de não se cultivar a memória aracajuana. "Muitos prédios foram demolidos, mas os primeiros passos para o resgate de nossa história estão acontecendo. O aracajuano vai voltar a freqüentar a Ponte porque, mais do que revitalizada, ela passa a constituir-se num velho novo ponto turístico de Aracaju". Disse à Agência Aracaju de Notícias no dia da inauguração.

Morre assim o Museu de Rua pela força bruta do racionalismo institucionalizado, que antes de procurar uma solução visa a punir quem possua boas idéias. O desperdício nesta tomada de decisão não se limitou aos materiais retirados e transformados em sucatas. A idéia, enquanto bem imaterial, também foi mortalmente atingida. A concepção e a instalação do Museu de Rua na Ponte também foram explodidas.

O Ministério Público é um aparelho do Estado, mas não pode em nome desse Estado, atuar contra o povo, para satisfazer os caprichos de alguns dos elementos que o constitui. A Justiça nesta contenda não seguiu o tal "rigor da lei". Parece-nos que o "sentimento" subjetivo e vacilante substituiu o cumprimento da norma objetiva. Somente caberia uma decisão drástica deste tipo se, e somente se, o patrimônio fosse tombado e o Museu em si fosse um desserviço à sociedade.

Parece-nos que houve a vitória rancorosa da instrução acadêmica elitista sobre a necessidade premente de acesso do povo à sua memória contextualizada da forma mais íntima e simples. Aqui, num arremedo filosófico, ousamos dizer que a Justiça está condenada a se debater na eterna busca de um culpado dos fatos sem que isto signifique solução e o Ministério Público a conjugar os verbos imobilizar, parar, fechar, desmontar, insensível se os beneficiados dos serviços ficarão ou não privados destes.

Também sabemos especular mais ainda: talvez tenham questionado "como pode o populacho inculto querer informações nobres de forma tão gratuita". Imaginação fértil à parte, a verdade é que as pessoas que visitaram o Museu, em tão grande número, ali na decisão descabida da justiça tornaram-se meros detalhes irrelevantes.

O argumento de que as placas de vidro iriam descaracterizar a estrutura da Ponte, se não for pela birra política acima citada é baseada no desconhecimento histórico, isto aqui dito por acreditarmos, de fato, no trabalho de pesquisadores desprovidos de outras intenções desconhecidas.

Se a questão é preservar a Ponte no seu estado original, ela deveria permanecer como simples trapiche de madeira, afinal, o uso amplo do concreto armado é pós 1859. A Ponte está na sua 7ª edição, ou seja, da original apenas consta o aspecto geral de um ancoradouro. Ela já sofreu sete alterações estruturais. Esta coluna já tratou deste tema em http://www.cinform.com.br/colunistas/?colunista=6&codigo=39150. O tombamento pode acontecer depois do benefício ao patrimônio. Além disto, outras soluções técnicas são possíveis para substituir aquela montagem.

A Ponte como Museu de Rua completava-se com a maquete que aumentou sua importância enquanto objeto histórico. O desastre é ter de aceitar que a cegueira da justiça e a falta de senso prático do Ministério Público sejam os responsáveis pelo retorno da Ponte do Imperador à passividade dos mictórios públicos inapropriados. Ou, no máximo, mais um patrimônio à margem de um rio e das atividades de preservação do IPHAN, que em Sergipe acontecem em ritmo de um fantasma do bicho preguiça, assombrando os vivos.



===
dia 8 de novembro...


2º C.H.A.M.A Festival de Cultura: Arte e inclusão social

Desde o ano passado ocorre em Aracaju o C.H.A.M.A – Consenso Humanitário para Arte em Movimento em Aracaju – o evento é uma celebração da arte e da cultura do nosso Estado. Realizado pelo Centro Cultural Pablo Ruas Lisboa, projeto social desenvolvido pela banda Oganjah no Loteamento Pantanal, Inácio Barbosa, o festival é também uma comemoração do sucesso e da resistência dos trabalhos desenvolvidos nesta comunidade, lá são oferecidas oficinas de dança, capoeira, música dentre outras para as crianças e adolescentes do local.

No Festival, que este ano ocorre dia 8 de novembro no Espaço Emes, assim como no projeto, também estarão ocorrendo oficinas de arte: grafiti, dança, poesia, música, artes circenses, violão e percussão, que serão oferecidas gratuitamente para os jovens das escolas públicas do município. Além das oficinas, também está na programação uma importante palestra: “Inclusão social e Juventude”, que será ministrada pelo Preto Zezé, referência na luta pela inclusão social e integrante da CUFA e, Central Única de Favelas, que conversará com os alunos sobre a importância do protagonismo juvenil e das ações que mudam hábitos.

Muito mais do que promover um dia lúdico e interdisciplinar, o projeto objetiva despertar a potencialidade desses jovens. Oferecer oportunidades de contato com a arte é estimular futuros Agentes Culturais que poderão multiplicar o conhecimento adquirido e transformar o cenário artístico do local em que vivem, além de promover a inclusão social a partir do ensino de técnicas que podem gerar renda.

As atividades do dia iniciam às oito horas e são gratuitas.

Já a noite, o festival será encerrado com shows das bandas Sibberia, Reação e Oganjah, além de intervenções artísticas. O grande momento da noite fica por conta do “Tributo a Pablo Ruas”, idealizador do projeto C.H.A.M.A que faleceu no ano de 2006, e contará com a participação de Alex Sant’Ana, Mingo Santana, Everton Nen e Diconduta. A programação noturna inicia às 21h e toda verba arrecadada será direcionada para o Centro Cultural Pablo Ruas Lisboa desenvolvido pela banda Oganjah na comunidade Pantanal.

O quê? C.H.A.M.A. Festival de Cultura

Quando? 8 de Novembro, 8h manhã e 21h noite

Onde? Espaço Emes

Quanto: gratuito pelo dia, 7 reais à noite.



===


T E A T R O TOBIAS BARRETO

PROGRAMAÇÃO NOVEMBRO 2008

Dias 1 e 2, sábado e domingo, 19:30hs

ENCONTRO NACIONAL DE COROS/SE - ENACOSE

Dia 5, quarta-feira, 21h

Orquestra Sinfônica de São Paulo

Dia 6, quinta-feira, 20h30min

Orquestra Sinfônica de Sergipe

Dia 7, sexta-feira, 18:30hs

“O mundo da criança, em ritmo dos sonhos” Colégio São Paulo

Dia 8, sábado, 19h

Colégio COESI – “Enigma”

Dia 9, domingo

Abertura do Congresso Brasileiro de História da Educação

Dias 11, terça-feira, 20h

“Fadas” Talibah Centro de Dança

Dia 13, quinta-feira, 19h

Colégio Arquidiocesano – “Fabrica dos sonhos”

Dia 15, sábado, 19:30hs

Ballet & Cia “Nossa história”

Dia 16, domingo, 19h

“Jardim secreto” Colégio Jardins

Dia 17, segunda-feira

Espetáculo do Porto do Mato

Dia 18, terça-feira, 21h

“Mundo perfumado” Cia. Primeiro Ato/MG

Dias 21 e 22, 18:30hs

Passo a Passo – “Mary Poppins”

Dia 23, 19h

Célia Duarte – “Peter Pan”

Dia 24, segunda-feira

Abertura do XI Simpósio Nordestino de alimentação de Ruminantes

Dias 25 e 26, terça e quarta-feira, 21h

MPB Petrobrás – Tom Zé

Dia 28, sexta-feira, 20h

Magia do Som- “O poder da música clássica”

Dia 30, domingo

“Estações” CAD



===


===

em Aracaju, breve...

2 comentários:

  1. Fernando31.10.08

    Parabéns pelo blog, muito bom.
    Porém os posts estão bem bagunçados... Tente não usar caps lock e tantas cores diferentes. Me deixa confuso...

    ResponderExcluir
  2. Salve Fernando!

    Conversei ontem com uma amiga sobre a 'Identidade visual' do blog. Também acho-o um pouco bagunçado. Pedi a opinião de alguns amigos e a sua é muito bem vinda.

    Tentarei criar um ambiente mais harmonioso no blog para melhorar sua função de informar.

    GRANDE abraço!!!

    A

    ResponderExcluir