7 de outubro de 2008

PROgRAMAÇÃO CultURAL em Aracaju, de 8 a 12 de outubro

Saudações!!!

Repassando programação cultural...

Favor repassar aos seus contatos as informações entendidas relevantes.

Relembrando:

Disponibilizei no BLOG, outros sites que também contém AGENDA CULTURAL. Podem ser vistos no lado direito das informações, logo abaixo do INSCREVA-SE.

Abaixo também tem: BLOGS de SERGIPE, e outros SITES e BLOGS interessantes.


===

sobre

PODCAST...

é um programa de rádio que pode ser escutado ou baixado pela internet. Os podcasts são de graça e você pode a qualquer hora, em qualquer lugar e quantas vezes você quiser.

Aqui nesse canal você ouve MUITOS...



===

EXPOSIÇÕES de ARTES PLÁSTICAS em Aracaju


do SITE da INFONET


S U M Á R I O


1 - Quarta, 08.10, no Teatro Tobias Barreto, o grupo de MÚSICA ANTIGA Renantique comemora 12 anos!!!

2 - Sardana Piano Bar: o melhor da BOSSA NOVA, JAZZ e MPB ao piano de Zenóbio Alfano

3 - todas as 4ªs, CLUBE DO JAZZ, na Aperipê FM, 104,9, das 20 às 21h00.

4 - no Teatro Lourival Baptista, IRMÃO & TONHO BAIXINHO + Convidados

5 - Rua da Cultura ÀS SEXTAS?!! novo projeto, o MERCADO DO SAMBA!!!

6 - A PARTIR DAS 5ªS, até domingo Aju tem a AGENDA do CHORO

7 - CAJU JAZZ BAND em terceto, no TEIMONDE, 10.10, às 22h30

8 - na LIVE!!! SMIRNOFF BlackNight

9 - Homenagem ao CENTENÁRIO de CARTOLA no Recanto do Chorinho

10 - COVERAMA edição especial 12 BANDAS!!!

11 - ORSSE na praia de Atalaia, no dia da criança...

12 - AGENDA Maria Scombona...

13 - no SESC Centro - Aracaju, 10.10

14 - AGUARDEM, breve a inauguração do

CAFÉ BAR


15 - poesias: de MACHADO DE ASSIS e Edgar A. Poe


A G E N D A


08.10, quarta-feira

CONJUNTO DE MÚSICA ANTIGA

R E N A N T I Q U E

Na quarta-feira 08, o Conjunto de Música Antiga Renantique realiza concerto no Teatro Tobias Barreto em comemoração aos seus 12 anos de existência. Na oportunidade, o grupo irá homenagear o luthier Passos, da cidade de São Cristóvão.


O Renantique é pioneiro na pesquisa, prática e divulgação da música Medieval e Renascentista no estado de Sergipe. Ele possui estrutura de um broken consort renascentista, com combinações de vários instrumentos de famílias diferentes (cordas, sopro e percussão), cópias autênticas de instrumentos da Idade Média e Renascença.

No repertório, músicas da Idade Média e Renascença, que vai do século X ao século XVI: canções da Idade Média e Renascença: música de Danças Medievais e Renascentistas, músicas do tempo das Cruzadas, Cantigas de Santa Maria do rei Afonso X, música do Troubadours e Trouvéres, Carmina Burana, música Elizabetana, música da Corte de Henrique VIII, música do teatro de Shakespeare, música Franco-Flamenga do século XV, música ibérica do século XVI, música do Trecento Italiano, canções francesas do século XVI e do Livro Vermelho de Montsserrat.

O Renantique é composto por Emanuel Vasconcelos (alaúde), Marcus Éverson (flautas e baixo), Pedro Marcelo (percussão), Gustavo Adolfo (viola de gambá), Ednei Arnon (tenor), Vera Guimarães (contralto) e Juliana Almeida (soprano).


às 20 horas

no Teatro Tobias Barreto

Grátis

===

IMPERDÍVEL o




Nas Quartas às 20h, para ouvir o Clube do Jazz, clique no link
AO VIVO
www.aperipe.se.gov.br

===

falando em JAZZ...conheça o

SARDANA & Zenóbio Alfano
ristorante e piano bar

funcionando das quartas aos sábados, a partir das 18h30 (BOHÊMIA DOBRADA até às 21h00!!!) com a exclusiva música do pianista de carreira internacional ZENÓBIO ALFANO, que apresenta o melhor do BLUES, JAZZ e da BOSSA NOVA.


===

09.10, quinta-feira

Irmão & Tonho Baixinho + CONVIDADOS

Todas as quintas de Outubro

às 20h

no TEATRO LOURIVAL BATISTA

PREÇO: Doação de brinquedo

===


AGENDA DO CHORO

CHORINHO no GULA&CIA

segue a composição do grupo de choro que está tocando todas as quintas-feiras no Gula&Cia:

localizada dentro do posto GAZOL da Av Chanceler Osvaldo Aranha (logo após a ultragaz no sentido de quem está saindo da cidade).

A nossa proposta é a de desenvolver um ponto de encontro de músicos e amantes da boa música.

Dentro em breve teremos um dia de jazz na nossa programação.

Rivaldo (Tabareu) ........... Violão de 6 e 7 cordas
Edson ............................ Banjo e Trompete
Patrocinio ....................... Sax tenor
Paulo A. .......................... Sax tenor
Maestro Francisco ........... Trombone e Sax soprano
Silvino ........................... Flauta
Santos ........................... Pandeiro
Junior ............................ Percursão

contatos: Paulo Amaral,
79 8102-6826 --

===

sexta-feira, 10.10



O Sesc Sergipe e o Departamento Nacional, em parceria com o HQ Festival, têm o prazer de convidar para participar do


ANIMA MUNDI BRASIL


no SESC Centro -

Rua Dom José Thomaz, 235

Centro - Aracaju/SE


(Ao lado do Arquidiocesano). A ENTRADA É FRANCA!!!


DIA 10 DE OUTUBRO/08
17h30 - Exibições de animações

19h - CONVERSA ANIMADA | MESA REDONDA

Cinema de Animação - Uma Proposta Arteducativa em Sergipe
Marcelo Roque Belarmino - Arteducador e Cineasta
Exibição do Curta As Aventuras de seu Euclides (Parafusos)
Dir: Marcelo Roque Belarmino - Brasil, 2007 | Dur: 00:15:00

19h30 - Quadrinhos e Animações
O crescimento das produções regionais
Anderson Santos - Roteirista de Quadrinhos e Editor
Adelson Tavares - Quadrinista e Colorista
Marcio Oicram - Ilustrador e Animador

20h – Debate

20h30 - Exibição do Curta O Lobisomem e o Coronel
Dir. Elvis Kleber e Ítalo Cajueiro - Brasil, 2002 | Dur: 00:09:52

Confirme sua presença:
79 - 3216-2726

Programação completa. http://www.sesc-se.com.br/progra.htm







===

MERCADO DO SAMBA

O NOVO PROJETO DA RUA DA CULTURA TODAS AS SEXTAS FEIRAS A PARTIR DAS 18 HORAS NO MERCADO MUNICIPAL NO MESMO LUGAR DA RUA DA CULTURA.

VENHA PRESTIGIAR O MELHOR DO SAMBA FEITO EM SERGIPE.
DE GRAÇA!!!

===

Cantinho da Boemia (Vieira 7 cordas)

às sextas- feiras, a partir das 20h30 Av. João Ribeiro,1416 - Bairro Santo Antonio, próximo à subida da ladeira.

==


Chorinho do Inácio

aos sábados, a partir das 16h00 e domingos, a partir das 14h00 Rua Canadá, 343 - B. Novo Paraíso (é uma transversal da Rua Rio Grande do Sul).


==

No Parque da Cidade - Recanto do Chorinho

(domingo, a partir das 17h00)


Egnaldo - Bandolim e voz e percussão
Souza Cavaquinho
Saul Violão
Dão violão
Rivaldo & Nancy - voz

http://recantodochorinho.50webs.com/index.htm

O telefone de contato do Recanto do Chorinho é 8135-2330.
===

OUVIR NAS RÁDIOS

Na rádio APERIPÊ,

AM - Programa Domingo no Clube,

apresentado por Sérgio Thadeu, o programa, criado por seu pai há quase 22 anos, é uma verdadeira celebração ao Choro, buscando sempre apresentar novidades ou resgatar clássicos do fundo do baú। Um verdadeiro banquete pra quem gosta do ótimo Choro! Vai ao ar todos os domingos das 7 às 9h00।contato: domingonoclube@gmail.com
==

FM, Programa Choros e Canções,

apresentado por Ricardo Gama, o programa choros e canções vai ao ar na Aperipê FM sempre às 18h, de segunda à sexta। contato: chorosecancoes@aperipe.se.gov.br




===

10.10, sexta-feira


NOITE DE MUITO JAZZ no

TEIMONDE SCOTCH BAR

sexta, 10.10, a partir das 22h30


===

11.10, sábado


na LIVE!!!


"Você não pode perder! A maior festa do ano de vodka importada!

A volta dos Blackout's.

1º festa onde mulher não paga a entrada.
1º festa onde vodka e ice são dobradas a madrugada inteira."

Ingresso: R$ 15,00

===

no RECANTO do CHORINHO,

homenagem ao CENTENÁRIO do

C A R T O L A



"Tradicional reduto da boa música, o Bairro Industrial vai ser palco do encontro de gerações. Com hora somente para começar no sábado, às 18 horas, Egnaldo (bandolim), Rivaldo 'Tabaréu' (seis cordas) e Souza (pandeiro) recebem seus convidados. Os anfitriões vão tocar com os chorões Vieira 7 Cordas, Doutor Guerra (bandolim) e Medeiros (clarinete). Além de músicos admiradores do choro, como Júlio Rêgo (gaita) e Evanilson Vieira (sanfona) fazendo participações especiais."*


Texto de Luciana Almeida

*leiam o artigo completo da jornalista no site Overmundo

Chorões sergipanos fazem roda em homenagem a Cartola


PROGRAMA

O parque José Rollemberg Leite, conhecido como Parque da Cidade, fica na Avenida Corintio Leite.

às 18h00

custa R$ 5,00

contato: (79) 81063400

===

Sem eliminatórias, e direto para uma SUPER FINAL, estas 12 bandas escolhidas pela produção estarão disputando um prêmio de R$1000,00.

2 palcos, 12 bandas, R$1000,00 em jogo!

INGRESSOS ANTECIPADOS: R$10,00
NA PORTA: R$12,00

COVERAMA 2009 - INSCRIÇÕES ATÉ 23/12/2008

===

AGENDA MARIA SCOMBONA:

11 de outubro: Circuito Escolar Maria Scombona (Colégio Liceu)

18 de outubro: Circuito Escolar Maria Scombona (Escola Parque)

25 de outubro: Circuito Escolar Maria Scombona (CCPA)

1º de novembro: Circuito Escolar Maria Scombona (Nossa Escola)

1º de novembro: Show (ainda a confirmar local)

8 de novembro: Show e Workshop no evento Chama (Espaço Emes)


31 de janeiro 2009 : Verão Sergipe (Pirambu)

NO BLOG:

"Não é preguiça, moçada, é que tô sem aquelas horazinhas de privacidade e frutificação de idéias. Outra coisa. Funciono assim: cada coisa tem a sua hora e só consigo render se estou vibrando bem com aquilo. Compor não é diferente..."

Leia mais aqui:

http://blog.mariascombona.com.br/2008/09/bateu-o-banzo/

NO SITE:

Envie fotos que você tirou da Maria Scombona, mande seu recado e baixe os discos da banda aqui:

http://www.mariascombona.com.br/

===

12.10, domingo


Orquestra Sinfônica participa da comemoração do Dia das Crianças

ImageA Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) fará uma apresentação especial dentro da programação elaborada pelo Governo do Estado para comemorar o dia de todas as crianças. O evento acontece no próximo domingo, 12, na Praça de Eventos da Orla de Atalaia a partir das 15h.

O repertório da ORSSE conta com a fábula Pedro e o Lobo de Prokofiev, além da Sinfonia dos Brinquedos de Leopold Mozart, em que as crianças interagem com os integrantes da orquestra. A regência e narração estarão a cargo dos maestros Guilherme Mannis e James Bertisch.

===


Com início previsto para as 15h, o grupo apresentará a fábula Pedro e o Lobo de Prokofiev, além da Sinfonia dos Brinquedos de Leopold Mozart, em que as crianças interagem com a Orquestra Sinfônica. A regência e narração estarão a cargo dos maestros Guilherme Mannis e James Bertisch. A entrada é franca.
Sergei Prokofiev em foto escolar
Nasceu na Ucrânia a 23 de Abril de 1891, na localidade de Somsovka. Iniciou seus estudos de música com a mãe, e compôs a sua primeira obra, uma pequena peça para piano, com a idade de 5 anos. Pedro e o Lobo estreou a 2 de Maio de 1936 pela Filarmônica de Moscou, sob sua regência . Ficou assim uma obra de destaque para o repertório de Prokofiev, que proporciona uma ligação notável às crianças. O sentido do palco e do espetáculo é uma característica das obras de Prokofiev. Daí que nem mesmo uma história destinada originalmente a crianças se tenha coibido de provocar um leve sabor ao drama, à medida da sensibilidade infantil, ao deixar por resolver a situação desconfortável do pobre pato que continua vivo mas na barriga do lobo. "O que terá acontecido depois?" parece ser a pergunta que o próprio autor deixa no final, e propositadamente remete a resolução desta situação dramática para a imaginação dos seus pequenos ouvintes. Portanto "Pedro e o lobo" é uma história infantil contada através da música. Foi composta, com o objetivo pedagógico de mostrar às crianças as sonoridades dos diversos instrumentos. Cada personagem da história (Pedro, lobo, avô, pássaro, pato, gato e os caçadores) é representada por um instrumento diferente ou conjunto de instrumentos.

Programa:

Wolfgang Amadeus Mozart
Eine kleine Nachtmusik – Uma pequena serenata
Leopold Mozart
Sinfonia dos Brinquedos
Serge Prokofiev
Pedro e o Lobo

Ficha técnica:

Orquestra Sinfônica de Sergipe
Guilherme Mannis, regente e narrador
James Bertisch, regente
Orla de Atalaia (próximo à Galeria de Arte da Orla), 15h

Evento “O Dia de Todas as Crianças”
Entrada Franca
Informações: (79) 3179-1480; sinfonica@cultura.se.gov.br
Realização: GOVERNO DE SERGIPE/ Secretaria de Estado da Cultura

A entrada é franca.


===

e dia 17 de outubro inaugura o

CAFÉ BAR


com show do


Jazz Clube Quinteto:


Thiago Valadão (violão e guitarra); Lucas Valadão(bateria); Dinho''Dog''(baixo); Davysson Lima(sax tenor); Gentil Leite(trompete).

Participação especial das cantoras Patrícia Polaine e Monara.

aguardem...

===

POESIA

Machado de Assis


Círculo vicioso


Bailando no ar, gemia inquieto vagalume:
"Quem me dera que eu fosse aquela loira estrela
Que arde no eterno azul, como uma eterna vela!"
Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme:


"Pudesse eu copiar-te o transparente lume,
Que, da grega coluna à gótica janela,
Contemplou, suspirosa, a fronte amada e bela"
Mas a lua, fitando o sol com azedume:


"Mísera! Tivesse eu aquela enorme, aquela
Claridade imortal, que toda a luz resume"!
Mas o sol, inclinando a rútila capela:


Pesa-me esta brilhante auréola de nume...
Enfara-me esta luz e desmedida umbela...
Por que não nasci eu um simples vagalume?"...


de http://www.revista.agulha.nom.br/machado.html



Essa é do Edgar Alan Poe


O CORVO

(tradução do Machado de Assis)

Em certo dia, à hora, à hora
Da meia-noite que apavora,
Eu, caindo de sono e exausto de fadiga,
Ao pé de muita lauda antiga,
De uma velha doutrina agora morta,
Ia pensando, quando ouvi à porta
Do meu quarto um soar devagarinho
E disse estas palavras tais:
"É alguém que me bate à porta de mansinho;
Há de ser isso e nada mais."



Ah! bem me lembro! bem me lembro!
Era no glacial dezembro;
Cada brasa do lar sobre o colchão refletia
A sua última agonia.
Eu ansioso pelo Sol, buscava
Sacar daqueles livros que estudava
Repouso (em vão!) à dor esmagadora
Destas saudades imortais
Pela que ora nos céus anjos chamam Lenora,
E que ninguém chamará mais.

E o rumor triste, vago, brando
Das cortinas ia acordando
Dentro em meu coração um rumor não sabido,
Nunca por ele padecido.
Enfim, por aplacá-lo aqui, no peito,
Levantei-me de pronto, e "Com efeito,
(Disse) é visita amiga e retardada
Que bate a estas horas tais.
É visita que pede à minha porta entrada:
Há de ser isso e nada mais."

Minh'alma então sentiu-se forte;
Não mais vacilo, e desta sorte
Falo: "Imploro de vós - ou senhor ou senhora,
Me desculpeis tanta demora.
Mas como eu, precisando de descanso
Já cochilava, e tão de manso e manso,
Batestes, não fui logo, prestemente,
Certificar-me que aí estais."
Disse; a porta escancaro, acho a noite somente,
somente a noite, e nada mais.

Com longo olhar escruto a sombra
Que me amedronta, que me assombra.
E sonho o que nenhum mortal há já sonhado,
Mas o silêncio amplo e calado,
Calado fica; a quietação quieta;
Só tu, palavra única e dileta,
Lenora, tu, como um suspiro escasso,
Da minha triste boca sais;
E o eco, que te ouviu, murmurou-te no espaço;
Foi isso apenas, nada mais.

Entro co'a alma incendiada.
Logo depois outra pancada
Soa um pouco mais forte; eu, voltando-me a ela:
"Seguramente, há na janela
Alguma coisa que sussurra. Abramos,
Eia, fora o temor, eia, vejamos
A explicação do caso misterioso
Dessas duas pancadas tais,
Devolvamos a paz ao coração medroso,
Obra do vento, e nada mais."

Abro a janela, e de repente,
Vejo tumultuosamente
Um nobre corvo entrar, digno de antigos dias.
Não despendeu em cortesias
Um minuto, um instante. Tinha o aspecto
de um lord ou de uma lady. E pronto e reto,
Movendo no ar as suas negras alas,
Acima voa dos portais,
Trepa, no alto da porta em um busto de Palas:
Trepado fica, e nada mais.

Diante da ave feia e escura,
Naquela rígida postura,
Com o gosto severo, - o triste pensamento
Sorriu-me ali por um momento,
E eu disse: "Ó tu que das noturnas plagas
Vens, embora a cabeça nua tragas,
Sem topete, não és ave medrosa,
Dize os teus nomes senhoriais;
Como te chamas tu na grande noite umbrosa?"
E o corvo disse: "Nunca mais."

Vendo que o pássaro entendia
A pergunta que eu lhe fazia,
Fico atônito, embora a resposta que dera
Dificilmente lha entendera.
Na verdade, jamais homem há visto
Coisa na terra semelhante a isto:
Uma ave negra, friamente posta
Num busto, acima dos portais,
Ouvir uma pergunta a dizer em resposta
Que este é seu nome: "Nunca mais."

No entanto, o corvo solitário
Não teve outro vocabulário.
Como se essa palavra escassa que ali disse
Toda sua alma resumisse,
Nenhuma outra proferiu, nenhuma.
Não chegou a mexer uma só pluma,
Até que eu murmurei: "Perdi outrora
"Tantos amigos tão leais!
"Perderei também este em regressando a aurora."
E o corvo disse: "Nunca mais."

Estremeço. A resposta ouvida
É tão exata! é tão cabida!
"Certamente, digo eu, essa é toda a ciência
Que ele trouxe da convivência
De algum mestre infeliz e acabrunhado
Que o implacável destino há castigado
Tão tenaz, tão sem pausa, nem fadiga,
Que dos seus cantos usuais
Só lhe ficou, na amarga e última cantiga,
Esse estribilho: "Nunca mais."

Segunda vez nesse momento
Sorriu-me o triste pensamento;
Vou sentar-me defronte ao corvo magro e rudo;
E, mergulhando no veludo
Da poltrona que eu mesmo ali trouxera,
Achar procuro a lúgubre quimera,
A alma, o sentido, o pávido segredo
Daquelas sílabas fatais,
Entender o que quis dizer a ave do medo
Grasnando a frase: "Nunca mais."

Assim posto, devaneando,
Meditando, conjeturando,
Não lhe falava mais; mas, se lhe não falava,
Sentia o olhar que me abrasava.
Conjeturando fui, tranqüilo, a gosto,
Com a cabeça no macio encosto
Onde os raios da lâmpada caíam,
Onde as tranças angelicais
De outra cabeça outrora ali se desparziam
E agora não se esparzem mais.

Supus então que o ar, mais denso,
Todo se enchia de um incenso,

Obra de serafins que, pelo chão roçando
Do quarto, estavam meneando
Um ligeiro turíbulo invisível:
E eu exclamei então: "Um Deus sensível
Manda repouso à dor que te devora
Destas saudades imortais.
Eia, esquece, eia, olvida essa extinta Lenora."
E o corvo disse: "Nunca mais."

"Profeta, ou o que quer que sejas!
Ave ou demônio que negrejas!
Profeta sempre, escuta: Ou venhas tu do inferno
Onde reside o mal eterno,
Ou simplesmente náufrago escapado


Venhas do temporal que te há lançado
Nesta casa onde o Horror, o Horror profundo
Tem os seus lares triunfais,
Dize-me: existe acaso um bálsamo no mundo?"
E o corvo disse: "Nunca mais."

"Profeta, ou o que quer que sejas!
Ave ou demônio que negrejas!
Profeta sempre, escuta, atende, escuta, atende!
Por esse céu que além se estende,
Pelo Deus que ambos adoramos, fala,
Dize a esta alma se é dado inda escutá-la
No Éden celeste a virgem que ela chora
Nestes retiros sepulcrais,
"Essa que ora nos céus anjos chamam Lenora!"
E o corvo disse: "Nunca mais."

"Ave ou demônio que negrejas!
Profeta, ou o que quer que sejas!
Cessa, ai, cessa! (clamei, levantando-me) cessa!
Regressando ao temporal, regressa
À tua noite, deixa-me comigo...
Vai-te, não fique no meu casto abrigo
Pluma que lembre essa mentira tua.
Tira-me ao peito essas fatais
Garras que abrindo vão a minha dor já crua."
E o corvo disse: "Nunca mais."

E o corvo aí fica; ei-lo trepado
No branco mármore lavrado
Da antiga Palas; ei-lo imutável, ferrenho.
Parece, ao ver-lhe o duro cenho,
Um demônio sonhando. A luz caída
Do lampião sobre a ave aborrecida
No chão espraia a triste sombra; e fora
Daquelas linhas funerais
Que flutuam no chão, a minha alma que chora
Não sai mais, nunca, nunca mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário