26 de junho de 2009

ProgCultBLOG - Especial OUTRAS agendas

Envido pelo

PROGRAMA DE ROCK!!!


SÁBADO É DIA DE ROCK AO VIVO

Zombeer Fest II
.
Dia 04.JUL.09, sábado, 21hrs.
Local: Casa do Rock - Rodovia Airton Senna, nº 170, em frente ao Oca Bar, logo depois da AABB.
Preço: r$ 7
.
Bandas:
.
Andralls - SP (thrash), lançando cd.
http://www.myspace.com/andralls
.
Nucleador (crossover)
http://www.myspace.com/nucleador
.
Karne Krua (hardcore)
http://www.myspace.com/bandakarnekrua
.
Inrisório (grind)
http://www.myspace.com/inrisorio

=======
outra...
Bizzare Fest

Dia 04/07/09
Local: Centro De Criatividade, B. Getúlio Vargas
Ingresso: R$ 4,99
Às 15:00 hrs.
Bandas:
→ Friendship
→ One last sunset
→ Conexão H.C
→ Va Pra Porra
→ The Street Vision
→ Blastose (AL)
→ Da me la Pistola (AL)
→ Anorexia (AL)


Escrito pela jornalista Grace Melo*, no site Cajueiros e Papagaios:


CARTA A HELOISA HELENA:
AYRES BRITO E A PUNHALADA NO JORNALISMO BRASILEIRO

Aracaju, 17 de junho de 2009

Querida Heloisa Helena,



Eu, assim como outros milhões e milhões de brasileiros, sou sua grande fã. Este fato se tornou para mim um grande problema, pois estou ficando velha, e um dos principais sintomas, um efeito colateral, uma das marcas do tempo em mim é a impaciência; não tenho muito a perder com lenga-lenga e churumela, ainda mais alimentando sonhos que nunca se concretizam e que ‘quando se’, terminam em grande desapontamento.





[...]


entre MUITOS outros textos sobre esse fato, e outros...

*Grace Melo era jornalista profissional. Atualmente é dona de casa, mãe de dois filhos e cursa Letras Português - Inglês para um dia ter um diploma de verdade e ser alguém na vida.


=======

enviado pela

Secretaria de Estado da Cultura /Dir. de Projetos Culturais
para divulgação:

"Caros,


no próximo dia 1º de julho (quarta-feira), o Governo de Sergipe dará início às conferências municipais do Planejamento Participativo, que visa dialogar com a sociedade sergipana para definir demandas e ações que nortearão as políticas públicas da atual gestão até final de 2010. Este ano, a Cultura ganhou uma atenção especial e teremos uma mesa em cada cidade para discutir o tema.

Para nós, da Secretaria de Estado da Cultura, este é um momento crucial na consolidação da integração entre governo estadual, governo municipal e atores da cena cultural de nosso estado.
Sendo assim, gostaria de convidar todos os agentes culturais de nosso estado para que participem das conferências em suas cidades e tragam as suas demandas na área de cultura. Vamos tentar reunir o máximo de agentes culturais em cada cidade, pois essas conferências serão a base para a construção do nosso Plano Estadual de Cultura. Conto com vocês para mobilizar a cena cultural de sua cidade.

Este é o meu primeiro contato com vocês, mas estou de portas abertas para dialogarmos. Abaixo coloco o calendário de conferências municipais e peço que cada um mobilize e participe dentro das datas apresentadas. Também estou deixando meus contatos para tirar todas as dúvidas.

Dia 01/07 - Alto Sertão Sergipano (Canindé, Gararu, Monte Alegre, N. Sra da Glória, N. Sra de Lourdes, Poço Redondo, Porto da Folha)

Dia 02/07 - Médio Sertão (Aquidabã, Cumbe, N. Sra das Dores, Feira Nova, Graccho Cardoso e Itabi)

Dia 02/07 - Baixo São Francisco (Muribeca, Amparo do S. Francisco)

Dia 07/07 - Baixo São Francisco (Brejo Grande, Canhoba, Ilha das Flores, Cedro de São joão, Santana do S. Francisco, Neópolis, Propriá, Telha)

Dia 14/07 - Baixo São Francisco (Pacatuba, São Francisco, Japoatã, Malhada dos Bois)

Dia 14/07 - Leste Sergipano (Capela, Carmópolis, Divina Pastora, General Maynard)

Dia 15/07 - Leste Sergipano (Rosário do Catete, Japaratuba, Santa Rosa de Lima, Siriri, Pirambu)

Dia 15/07 - Agreste Central (Carira, Frei Paulo e Pinhão)

Dia 16/07 - Agreste Central (Moita Bonita, Pedra Mole, ribeiópolis, São Domingos, N. Sra Aparecida, São miguel do Aleixo, Campo do Brito, Macambira)

Dia 21/07 - Agreste Central (Itabaiana, Areia Branca, Malhador)

Dia 21/07 - Sul Sergipano (Salgado, Boquim, Estância, Pedrinhas, Arauá)

Dia 22/07 - Sul Sergipano (Indiaroba, Cristinápolis, Tomar do Geru, Umbaúba, Santa Luzia do Intanhi, Itabaiananinha)

Dia 22/07 - Centro - Sul (Poço Verde, Tobias Barreto)

Dia 23/07 - Centro-Sul (Riachão do Dantas, Lagarto e Simão Dias)

Dia 23/07 - Grande Aracaju (Itaporanga D'Ajuda, São Cristóvão, Riachuelo, Maruim, Santo Amaro das Brotas)

Dia 28/07 - Grande Aracaju (Laranjeiras, Barra dos Coqueiros, N Sra do Socorro, Aracaju)

Contamos com a participação de vocês.

Atenciosamente,

-------------------------
Kadydja Albuquerque
Governo de Sergipe
(79) 3179 1916


=======



do site


SOBRE O DIPLOMA PARA JORNALISTA

Há um endereço eletrônico que está recolhendo assinaturas para um abaixo assinado. O objetivo é para que seja revertida ou, ao menos, revista, a decisão do STF.

Quem quiser contribuir, é só clicar no link
http://www.tutube.com.br/diplomasim/

Um abraço

Hans Misfeldt
São Paulo/SP

====

PROGRAMAÇÃO DO
NÚCLEO DE PRODUÇÃO VISUAL ORLANDO VIEIRA
e a
PROGRAMAÇÃO DOS FESTEJOS JUNINOS
no
GONZAGÃO


=======


=======

Poesia de

Fernando Pessoa na pessoa de Álvaro de Campos

"Passagem das horas"

============





AGENDA ESPECIAL

os dias abaixo trazem links de outras

AGENDAS CULTURAIS & AFINS

como o blog Bangalô Cult

da jornalista Suyene Correia,

em
http://bangalocult.blogspot.com/

ou do site regido pelo Jorge Ducci
em, http://www.sulanca.com/

o portal de conteúdos culturais de SERGIPE

APROVEITEM A PESQUISA E BOAS FESTAS

==
segunda, 29



PROGRAMAÇÃO RUA DA CULTURA

Na Comunidade do Orkut:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=829915

Mais informações:
3042-2246 / 8822-2777
ruadacultura@gmail.com
www.ruadacultura.blogspot.com


==

mais novas de Sergipe em



http://www.pontocultural.com/

==

terça, 30


Amigos (as),
As noticias referentes a programação dos festejos juninos - Gonzagão 2009 estão disponíveis no endereço abaixo:
Veja a programação completa e apareçam!
Podem repassar a informação adiante, caso julguem oportuno.
Abraço,

Zezito

===

AGENDA
SECRETARIA de CULTURA de SERGIPE

http://www.sec.se.gov.br/


=======


Terça feira do

CHORINHO


=======

quarta, 01.07

todas as quartas,

das 20 às 22h00
o MELHOR do jazz nacional e internacional, com a apresentação de

Ernesto Seidl


=======


http://www.interativ.com.br/


=======


quinta, 2


==

A G E N D A
do
C H O R O



Chorinhos, choristas e chorões se encontram de 5ª-feira a domingo, nos bares da cidade de Aracaju. Saiba dos horários e demais detalhes:

Bar

Cantinho da Boemia

Av João Ribeiro, 1416
(antes do semáforo da ladeira da Colina do Santo Antonio)

Aos sábados a casa recebe o Samba, no mesmo horário.

no 1º sábado de cada mês, o Mercado Municipal sedia um grande encontro dos chorões de Aracaju. IMPERDÍVEL! Fica no Centro histórico de Aracaju, entre artesanatos, cordéis, flores e comidas típicas.

= Bar - aos sábados e domingos

CHORINHO DO INÁCIO
(foto tirada em um domingo à noite - AT)

das 16h00 e às 22h00, no Bar do Inácio:
Rua Canadá, 343 - B. Novo Paraíso (é uma transversal da Rua Rio Grande do Sul, próximo à COHIDRO).

Compre o CD do


contato:
Inácio 79 9136-1803

=Bar e Restaurante

aos domingos

RECANTO DO CHORINHO

Além da boa música, a casa serve bebidas, refeições e petiscos para todos os gostos.
Domingos, das 17 às 19h00 - Convert R$ 5,00


no Parque da Cidade.

Se apresenta a


Banda do Chorinho

Egnaldo - Bandolim e voz e percussão
Souza Cavaquinho
Saul Violão
Dão violão
Rivaldo & Nancy - voz

às 4ª e depois do chorinho, das 20 às 23h00, seresta.

Contato: Leidinha 79 8135-2330

==


Chorinho NAS RÁDIOS

APERIPÊ,
AM - Programa Domingo no Clube,
apresentado por Sérgio Thadeu, o programa, criado por seu pai há quase 22 anos, é uma verdadeira celebração ao Choro, buscando sempre apresentar novidades ou resgatar clássicos do fundo do baú। Um verdadeiro banquete pra quem gosta do ótimo Choro! Vai ao ar todos os domingos das 7 às 9h00
Contato: Sérgio Tadeu domingonoclube@gmail.com

==


FM, Programa Choros e Canções,
apresentado por Ricardo Gama, o programa choros e canções vai ao ar na Aperipê FM sempre às 18h, de segunda à sexta.
Contato: chorosecancoes@aperipe.se.gov.br


=======



em

http://www.aracaju.com/index.php


=======

sexta, 03

sábado, 04


Curso de Encadernação - Técnica Costura.

das 8h as 17h

Local: Biblioteca Pública Epifânio Dória - Rua Drº Leonardo Leite S/N - 13 de Julho
Promoção: Associação dos Bibliotecários de Sergipe

Investimento: R$ 50,00

Inscrições: 3179-1965 - Vagas Limitadas


=======


e esse aqui, da INFONET

http://www.infonet.com.br/agenda/completa.asp


==

TEM TAMBÉM ESSES OUTROS LINKS, 'COLADOS' NA COLUNA À DIREITA DO BLOG, QUE FAZEM DIVULGAÇÃO DAS ARTES E DA CULTURA EM SERGIPE:

http://1mg-tarjapreta.blogspot.com/


http://cajueirosepapagaios.zip.net/


http://www.orladeatalaia.com.br/index.htm


http://acaoculturalse.blogspot.com/


VOCÊ
sentiu falta de algum outro site, blog, etc?
Informe para também afixá-lo ao ProgCultBLOG.

=========

dia 7 de julho
Círculo de Leitura
com análises do conto Natal na barca, de Ligia Fagundes Teles
e poemas de Eliana Mara Chiossi

O Comitê Sergipano do Programa Nacional de Incentivo à Leitura – PROLER – realizará no próximo dia 07 de julho, das 09 às 11h, na Biblioteca Pública Epifânio Dória, mais um Círculo de Leitura, com análises do conto Natal na barca, de Ligia Fagundes Teles, e de poemas de Eliana Mara Chiossi. As leituras são mediadas pelos professores Antônio Carlos Mangueira Viana e Maruze Reis e tem como objetivo a formação de leitores capazes de ler um texto em toda sua profundidade.
Público alvo: professores, mediadores de leitura e estudantes.
O evento é gratuito e não há necessidade de inscrição prévia.
Maiores informações na Biblioteca Pública Epifânio Dória, pelo telefone 3179-1907 ou pelos e-mails biblioteca.publica@cultura.se.gov.br / proler@cultura.se.gov.br.



=========

Poesia de Fernando Pessoa
na pessoa de Álvaro de Campos

"Passagem das Horas"

(trecho)
Trago dentro do meu coração,
Como num cofre que se não pode fechar de cheio,
Todos os lugares onde estive,
Todos os portos a que cheguei,
Todas as paisagens que vi através de janelas ou vigias,
Ou de tombadilhos, sonhando,
E tudo isso, que é tanto, é pouco para o que eu quero.
A entrada de Singapura, manhã subindo, cor verde,
O coral das Maldivas em passagem cálida,
Macau à uma hora da noite... Acordo de repente...
Yat-lô--ô-ôôô-ô-ô-ô-ô-ô-ô...Ghi-...
E aquilo soa-me do fundo de uma outra realidade...
A estatura norte-africana quase de Zanzibar ao sol...
Dar-es-Salaam (a saída é difícil)...
Majunga, Nossi-Bé, verduras de Madagascar...
Tempestades em torno ao Guardafui...
E o Cabo da Boa Esperança nítido ao sol da madrugada...
E a Cidade do Cabo com a Montanha da Mesa ao fundo...
Viajei por mais terras do que aquelas em que toquei...
Vi mais paisagens do que aquelas em que pus os olhos...
Experimentei mais sensações do que todas as sensações que senti,
Porque, por mais que sentisse, sempre me faltou que sentir
E a vida sempre me doeu, sempre foi pouco, e eu infeliz.
A certos momentos do dia recordo tudo isto e apavoro-me,
Penso em que é que me ficará desta vida aos bocados, deste auge,
Desta entrada às curvas, deste automóvel à beira da estrada, deste aviso,
Desta turbulência tranqüila de sensações desencontradas,
Desta transfusão, desta insubsistência, desta convergência iriada,
Deste desassossego no fundo de todos os cálices,
Desta angústia no fundo de todos os prazeres,
Desta sociedade antecipada na asa de todas as chávenas,
Deste jogo de cartas fastiento entre o Cabo da Boa Esperança e as Canárias.
Não sei se a vida é pouco ou demais para mim.
Não sei se sinto de mais ou de menos, não sei
Se me falta escrúpulo espiritual, ponto-de-apoio na inteligência,
Consangüinidade com o mistério das coisas, choque
Aos contatos, sangue sob golpes, estremeção aos ruídos,
Ou se há outra significação para isto mais cômoda e feliz.

Seja o que for, era melhor não ter nascido,
Porque, de tão interessante que é a todos os momentos,
A vida chega a doer, a enjoar, a cortar, a roçar, a ranger,
A dar vontade de dar gritos, de dar pulos, de ficar no chão, de sair
Para fora de todas as casas, de todas as lógicas e de todas as sacadas,
E ir ser selvagem para a morte entre árvores e esquecimentos,
Entre tombos, e perigos e ausência de amanhãs,
E tudo isto devia ser qualquer outra coisa mais parecida com o que eu penso,
Com o que eu penso ou sinto, que eu nem sei qual é, ó vida.

[...]

POESIA COMPLETA AQUI


=========


É o Circuito "TELA VERDE" que acontecerá de 01 a 10 de julho, o CURTA/SE, previsto para essa data, foi transferido para setembro.

Será que por NÃO ter selecionado o filme "A Eterna Maldição do Cacique Serigy", eles foram atingidos pela mesma?!

Não! A perrenga tem haver com o patrocínio da Petrobras, que não chegou ainda e talvez só tenhamos CURTA/SE em setembro.

mais...

A Sociedade de Estudos Múltiplos Ecológicos e Artes em parceria com o Ministério da Cultura e o Ministério do Meio Ambiente apresentam o “Circuito de Filmes Ambientais Tela Verde”, nos dias 03 e 10 de junho, 01 e 10 de julho, na Sociedade Semear, sempre às 19 horas. A entrada é gratuita.
Abaixo seguem as sinopses dos curtas.

Sinopse


-“Antes que a casa caia – 13’37”
Pedras que rolam, pedras que voam, poeira, exposições, assustadoras rachaduras. Já imaginou morar perto de uma pedreira.

-“Roda viva – 13’16”
Há poucos anos atrás, a lagoa de Arararuana era “viva” e importante geradoras de riquezas. Contudo, a poluição, a construção civil desordenada e ações irresponsáveis do homem fizeram a bela água escurecer, afastaram os peixes e os turistas, e transformaram as salinas em grandes condomínios. Ainda existe esperança?

-“Rio... para não chorar- 11’03”
Em rios. Hoje “valões”. Sonhos de vida que terminaram por causa do mau cheiro, doenças e alagamentos. O homem age, a natureza reage, trás de volta a sujeira que queremos. O filme mostra as transformações que o homem faz na natureza e que acabam alterando sua própria vida.

-“Coisas impossíveis – 10’35”
O filme pesquisa a invasão das áreas de preservação ambiental em arraial do Cabo. O duelo entre os direitos de preservação e moradia é o que esta em jogo com ou sem juízo final. O que esta acontecendo com a APA da Massambaba e as belíssimas paisagens da Praia do Forno?

- “Outras Praias – 8’45”
Turistas são atraídos pelas incríveis praias de Arraial do Cabo e movimentam o balneário em épocas de alta temporada. No entanto o que acontece quando eles vão embora? O que existe na cidade além das praias.

-“Retrato – 5’21”
Sem precisar de palavras. O filme mostra a vida simples de um rapaz que participa do projeto “Guardião Ecológico” limpa a sujeira deixada na areia da prainha, em Arraial do Cabo.

- “Havia um tempo – 14’14”
Havia uma Búzios. Roda linda, folia de reis, assombrações, boitatás e lobisomens habitavam a aldeia de pescadores que deixou saudades. Embalados por antigas cantigas de trabalho da comunidade quilombola, o filme preserva historias, lendas e dificuldades de uma Búzios que se foi.

- “Pequenos Atos- 10’00”
As coisas têm peso, massa e cor. Tamanho, tempo, forma, textura, duração, densidade, cheiro, valor, consistência, profundidade, contorno, mesmo quando são jogadas no lixo. O que é meio ambiente? Em uma cidade que vive em função do turismo, o que acontece se a harmonia e a beleza natural não mais existisse?

- “Geribabel- 11’05”
Geribabel, muitas línguas, muitas opiniões, conflito! Nativos, novos moradores, lado esquerdo, lado direito, Geribá! Paraíso ou inferno? Casa simples, mansões, quiosques, poluição. Denuncie dinheiro e poder. Quem são os índios e os caciques desa aldeia? E Ravel ao pôr-do-sol.

- “Insuficiência- 10’02”
Os pescadores artesanais sentem-se desvalorizados e excluídos. Não conseguem competir com o poder financeiro das indústrias pesqueiras e convivem com o desenvolvimento da atividade petrolífera na região sem serem contemplados com investimentos em infra-estrutura de apoio a sua atividade.

- “A ponte- 9’47”
A poucos quilômetros da paradisíaca paria do Forte em Cabo Frio, existe uma realidade pouco conhecidas por aqueles que a visitam as belas paisagens da região. O investimento nos royaties de petróleo em infa-estrutura fez grandes melhorias na cidade, mas deixou de lado uma parte da população que é sempre esquecida.

- “Caminho do mundo- 10’10”
Com o aumento do turismo e o crescimento econômico da região através royalties de petróleo, o volume de lixo cresce consideravelmente, atraindo catadores de outros municípios que são expostas a piores condições de trabalho. O lixo é rico. O que fazer com ele. A construção de um aterro sanitária ou uma oficina de reciclagem seria a solução para todos os problemas? O que significa liberdade para você?

- “Do lado de Cá- 13’00”
O manguezal como moradia o rio como escoamento para o esgoto, o crescimento desordenado. A falta de peixe anunciando a falência de ecossistema. Num universo de desilusões na cidade do petróleo, pescadores têm na conscientização das crianças a sua única esperança.

- “Vento Corredor- 16’00”
O conflito entre a necessidade de moradia e os cuidados com a natureza insegurança de uma comunidade diante da possível perda de suas casas, próximas ao parque nacional Restinga de Jurubatiba

- “Perambulante- 9’00”
A cidade vista de dentro de um ônibus vendedores de balas, camelôs, migrantes, em busca de uma chance na “terra das oportunidades”

- “Além do que se vê - 12’00”
O que é meio ambiente? Na tentativa de responder esta pergunta, moradores da ilha da Conceição fazem uma reflexão sobre o futuro da pesca na Baía de Guanabara.

- “Quem foi que disse que no mar não tem peixe? - 14’00”
A visão dos pescadores artesanais na ilhada Conceição sobre as dificuldades que enfrentam. O desaparecimento do pescado devido á poluição o auto custo da manutenção e as despesas para pesca retratadas em depoimentos e imagens de pesca na Baía de Guanabara.

- “Procura-se – 12’00”
Aonde fica a praia? Procura-se uma praia que não existe mais. Uma comunidade de pescadores aterrada pela chegada da urbanização. A historia da ilha da Conceição contada através da memória efetiva de seus antigos moradores.

- “Apertando o mangue – 11’45”
O Rio é como sangue nas veias, o mangue, é o corpo. O mangue é o todo de uma vida” Nas palavras de um nativo, uma reflexão sobre o homem e a natureza numa cidade em crescimento.

- “Lá é mais fácil – 11’38”
Juventude, formação, identidade, O jovem da zona rural e o da zona urbana. Próximos e radicalmente distantes, eles falam de suas vivencias.

- “Mulheres do âncora – 15’22”
“Alegria entusiasmo. A felicidade é a preparação de um acontecimento”. Construtora civil , manicure, pescadora, mães. Elas são as mulheres do Âncora.

- “Vai Vendo”
A ponte construída para ser símbolo da evolução serve de moldura para a vida cheia de dificuldade dos moradores de rio das Ostras. A explosão demográfica a diminuição dos peixes do mar, o descuido com a natureza.

- “Encontro das águas - 12’40”
O rio é a mãe, o mar é o pai, pescadores de rio e mar se encontram. De uma lado um conhecimento adquirida pela experiência, o amor a natureza e a profissão, de outro, o baixo preço do peixe e os desmandos dos pescadores. E o futuro a quem pertence?

- “Mar Cigano – 14’00”
O avanço da maré. A invasão do mar. 102 casas perdidas. Qual a relação do homem com a natureza? O desequilíbrio visto como vontade de Deus como destino do homem.

- “Barra viva – 12’50”
A historia de um Barão. O fechamento de uma grande fabrica de farinha. Memória de épocas melhores em contrastes com a atual falta de perspectivas dos jovens. O desejo de transpor as dificuldades, a vontade de ir embora em busca de melhores condições de vida, o amor pela cidade

- “Maragado – 13’50”
Paixão de pescador é o mar. O mar da inspiração para a vida livre e imprescindível, marcada pelos temporais fora de hora. Muitos se aventuram ate as plataformas em alto mar, perdem redes, cruzam rebocadores, correm riscos. Mulher de pescador sofre.


- “Tabuaçu – 14’20”
Pelo poder de Deus a Terra gira. Idéias vagas de progresso sobrevoam a comunidade do Açu, sua terra e seu mar diante do fim de um mundo.

- “Lembra-te do dia de sábado 13’16”
Imensidão azul rompendo portas, invadindo canções levando infância com a fome de um moinho. Areia, escombros, olhos, beleza.

- “Maré Baixa – 9’14”
Qual o limite de exploração do homem sobre o planeta? A ganância, a especulação imobiliária cega, que não leva em conta o equilíbrio ambiental, esta progressivamente destruindo a maior fonte de riqueza da região: a lagoa de Ararun. Os pescadores de amarão e tainha precisão procurar outros meios de sobrevivência agora que estas espécies estão desaparecendo.


- “Sal da Terra – 10’42”
O salineiro teimoso assiste as salinas virando cidades e os barracões se decompondo. O sal pronto para ser retirado e sendo levado pela chuva ou substituído pelo concreto. A sabedoria de um solitário trabalhador com seus pés fundidos a salmoura revelam a tristeza de um previsível fim.

Informações enviadas por http://1mg-tarjapreta.blogspot.com/
fonte: SEMEAR

Sociedade Semear - Todos os Direitos Reservados
Rua Vila Cristina 148 - Aracaju - Sergipe - Tel: (79) 214-5800



=======



Atividades de Julho do NPD Orlando Vieira
Continuando a extensa programação de junho o Núcleo de Produção Digital Orlando Vieira divulga seu calendário de atividades para o mês de julho. Mas antes anunciamos em primeira mão o novo canal de comunicação entre o NPDOV e o público, trata-se do blog www.npdorlandovieira.ning.com. Lá vocês podem encontrar fotos, vídeos produzidos pelos alunos e, claro, nosso calendário de atividades e em breve notícias sobre o cenário audiovisual.
Esperamos que esse novo meio de divulgação expanda as informações sobre o NPDOV para mais pessoas. Então indique para seus amigos e conhecidos, repassem este email para sua lista de contatos e nos auxilie na divulgação desse canal. Sugestões, críticas, propostas de exibição de filmes, de debates e discussões sobre cinema e produção audiovisual podem ser encaminhadas para o e-mail divulgacao.npdov@gmail.com.
Segue abaixo o calendário de atividades deste mês:
Curso de Introdução a Nouvelle Vague
Com Caio Amado
O curso iniciou-se no sábado, dia 27/06, e como houve algumas desistências informamos que ainda há vagas remanescentes. Tem como objetivo apresentar o contexto histórico e as mudanças estéticas surgidas com a Nouvelle Vague, movimento de ruptura do cinema francês.
O curso é ministrado pelo professor Caio Amado, mestre em Cinema e pesquisador da área. Através de contextualização histórica, debates e mostra de filmes dos principais diretores do movimento os alunos são apresentados aos principais conceitos e diretores do movimento. As aulas seguem durante todos os sábados de julho (04/07, 11/07, 18/07 e 25/07).
Os interessados devem comparecer até sexta-feira, em horário comercial, à secretaria do NPDOV (R. Lagarto, nº2161, São José. Tel. 3211 1505) para preenchimento de ficha de inscrição.
Oficina Laboratório de Roteiristas
com René Guerra
De 15 a 27 (exceto domingo).
De segunda a sexta das 19 as 22 e aos sábados das 9 às 13.
20 Vagas
O “Laboratório de roteiristas” é uma oficina teórica e prática em que os alunos serão orientados na construção de personagens, exposição, improvisos, introdução à teoria e ação, tudo isso voltado para o desenvolvimento de roteiros.
Os participantes terão vivencias práticas com aulas de análise de filmes e avaliação de ambientes externos, a exemplo do Mercado Central, com objetivo principal de esclarecer e auxiliar na resolução dos problemas mais freqüentes encontrados na construção de um roteiro. A oficina esta voltada para roteiristas, cineastas, profissionais do audiovisual e estudantes.
René Guerra é curta-metragista, formado em cinema pela FAAP, diretor e roteirista de cinema, televisão e teatro, além de arte-educador. Possui experiências internacionais como Stage Manenger, produtor e diretor no teatro La Mama, em Nova York. Dirigiu o curta ‘Os sapatos de Aristeu’, um dos mais premiados do ano de 2008.
A seleção será feita através de análise do currículo e das respostas ao questionário disponível para download no endereço a seguir http://www.4shared.com/file/115349261/71c943f0/Questionrio-_lab-_roteiristas.html.
Os interessados deverão encaminhar o currículo resumido e as respostas do questionário para o email inscricao.npdov@gmail.com, até as 11h59min do dia 7 de julho, terça-feira (inscrições recebidas depois do prazo serão desconsideradas).
A lista de aprovados será divulgada no dia 10 de julho. Os selecionados também serão avisados por email e telefone.
Mostra “Muito Além da Seca – Um novo olhar sobre o Nordeste”
DIAS 22, 23 e 24/07, sempre às 19 horas.
A mostra temática deste mês reúne três filmes brasileiros pós-retomada que exploram um novo olhar sobre o Nordeste, fugindo da caricatura já desgastada do sertão e do cangaço.
Em filmes como ‘O Céu de Suely’, ‘Cinema, Aspirinas e Urubus’ e ‘Amarelo Manga’, surge um nordeste mais urbano, de conglomerados humanos e dramas pessoais, apresentando para o país um recorte até então desconhecido, de uma realidade por vezes brutal, denunciando os males da sociedade e os conflitos de um homem nordestino tão metropolitano e cosmopolita quanto qualquer brasileiro.

A seleção dos filmes da mostra deste mês teve a curadoria do curta-metragista René Guerra, que irá ministrar o Laboratório de roteiristas, e é especialmente recomendada para os que desejem participar desta oficina.

As sessões são gratuitas e abertas ao público em geral. É uma oportunidade de ver cinema de qualidade, de graça e ainda bater um papo com a gente no final das sessões. Venha e convide seus amigos.
Confira a programação:
Dia 22/07 (quarta) – 19h – O CÉU DE SUELY (2006, Brasil, 88 min.)
O filme conta a história de Hermila, uma jovem que volta de São Paulo com seu filho recém-nascido para a casa de sua família, no interior do Ceará. Ela espera a chegada do marido que deve reencontrá-la. Mas ele nunca chega. Sozinha, Hermila tenta reinventar a sua vida, mas continua com o sonho de ir embora para o lugar mais longe possível.
Dia 22/07 (quinta) – 19h – CINEMA, ASPIRINAS E URUBUS (2005, Brasil, 101 min.)
O roteiro se passa no sertão nordestino de 1942 e conta a história de um alemão, que para fugir da Segunda Guerra Mundial, vem trabalhar como vendedor de aspirinas para cidades no interior do Nordeste. Ele conhece Ranulpho, um paraibano que quer ir para outra cidade tentar trabalho. O filme é o relato de Ranulpho sobre essa viagem.
Dia 23/07 (sexta) – 19h – AMARELO MANGA (2002, Brasil, 100 min.)
O filme é uma sucessão de curtas histórias envolvendo um bar e um hotel na cidade de Recife, que nos revela um mosaico de personagens vivendo em um bairro pobre da cidade. Um açougueiro e sua mulher evangélica, um necrófilo apaixonado pela dona de um bar, um homossexual apaixonado pelo açougueiro e outros, muitos outros personagens.

====



PROGRAMAÇÃO DOS FESTEJOS JUNINOS GONZAGÃO 2009

26.06 (sexta-feira)
20h – Concurso de Quadrilhas Juninas

27.06 (sábado)
20h – Trio Naldinho do Acordeon
21h30 – Concurso de Quadrilhas Juninas

28.09 (domingo)
20h – Grupo de Dança Popular Peneirou Xerém
21h30 – Concurso de Quadrilhas Juninas

29.06 – (segunda)
20h – Tonho Baixinho e Trio Ave Rara
21h 30 – Concurso de Quadrilhas Juninas

=======

FERRARO TRIO e HÉLOA ROCHA – 25 de Julho no Capitão Cook
Depois de um elogiado show de estréia no Capitão Cook ao lado do cantor estanciano Ivan Reis, o grupo sergipano Ferraro Trio promove mais uma noite de encontro entre a música instrumental e a nova música pop produzida em Aracaju. Com seu som calcado na soul music dos anos 70 (Steve Wonder, The Meters, Jackson 5) e no rock dos anos 60 (Jimi Hendrix Experience, The Beatles), a banda formada por alunos de Música da UFS e integrantes da Maria Scombona reafirma sua intenção de tocar para um público abrangente e sua crença na produção cultural recente de Sergipe. Saulinho Ferreira (Guitarra), Robson Macaxeira (Baixo) e Rafael Jr (Bateria) trilham o caminho da Black music com apuro técnico e feeling, incluindo composições próprias já disponíveis em WWW.myspace.com/ferrarotrio.
Héloa Rocha é a convidada da noite. A jovem cantora teve seu primeiro contato com a música acompanhando o trabalho de seu pai Jorge Ducci (músico auto-didata, uma de suas grandes influências), porém apenas em 2004 começou a estudar música clássica e canto coral em um curso de solfejo durante 3 anos com a professora e pianista Daniela Faber. Aos 15 anos começou a estudar teatro se tornando profissional da área onde ainda atua.
Suas afinidades musicais mais íntimas, no entanto, afloram através do projeto de sua carreira solo, que tem como base a Música Popular Brasileira, o samba, funk, rock e soul, com influências de novas cantoras como Céu, Mariana Aydar, Ceumar, Andréia Dias, Maria Rita e também as clássicas Rita Lee, Elis Regina, Marisa Monte e Adriana Calcanhoto. Sua performance tem pitadas de artes cênicas e o apoio de uma banda competente, formada por músicos experientes, também alunos do curso de Licenciatura em Música da UFS: Denisson Cleber (Guitarra, Violão); Fábio Oliveira (Baixo, Vocais) e Odílio Saminêz (Bateria).
RESUMO:
QUEM: Ferraro Trio e Héloa Rocha
QUANDO: Dia 25 de Julho (Sábado)
ONDE: Capitão Cook (Farol da Coroa do Meio)
QUE HORAS: a partir das 22h
QUANTO: R$ 10 Reais

=======


todos os meses

EDIÇÃO 179, maio 2009
receba em casa: ASSINE
antoidrex@gmail.com
PRÓXIMA EDIÇÃO
ESPECIAL DE 19 ANOS

Nenhum comentário:

Postar um comentário