3 de setembro de 2009

ProgCultSE! Arte e Cultura em Aju - 4 a 11 de Setembro

poesia

de Vicente Franz Cecim

Aqueles dois, Ali

nem soubessem o que lhes havia acontecido:

Quando a Estrela cintilou, foi dentro, embora sendo também no Céu,
lá longe

Lá,
no
que não se vê

Quero dizer: ver, Vendo
Não como se olha as coisas com estes olhos que temos de quase nada mais ver no Lá, de Onde, antes, víamos vendo.

ah aqueles dois, Aqui.

Fossem um homem e uma mulher, uma mulher e um homem, ou Aves, Ela com suas penas de Cor, ele com suas penas Sem cor
Mas todo branco. Branco, branco, Branco. Como um sonho vazio.

fossem eles talvez peixes, ou insetos
De todos os modos, de ser. Daquela maneira sendo o Masculino o Feminino,
Coisas que se atraemrepelem

Vocês sabem como somos, sendo.
Acariciamos pedras, lançamos pedras. Nossas mãos com ternuras, sem ternuras.
Depois, recolhemos as pedras que lançamos nos curvando para a terra,

tantas vezes tarde demais.

tarde demais
- Ele disse a Ela.
- Agora já começou a sangrar. Tarde demais, ela disse a ele, pois o sangue, após as unhas dEla, não fossem lágrimas descendo dos olhos dEle,

embora parecendo.
Mas as lágrimas logo vieram, seguindo o mesmo caminho do sangue. E, gota a gota, lágrimaSSangue, umas serpentes, deslizando, jorrando para a terra, sobre a Terra, aos seus pés.

- Tarde demais, ela dizendo.
E ele:
- Mas não te culpes, porque logo virão: o sangue coagulado, a cicatriz, e a cicatriz ficando branca, embranquecendo embranquecendo, Tu e Eu logo esqueceremos as tuas unhas ainda há pouco cravadas no meu Rosto

Foi como foi dito, e acima está escrito. E mais acima Acima

Quem tiver olhos para ler no Longe, leia

Passaram os dias.
Veio o sangue coagulado.
Veio a cicatriz.
Veio a Brancura imensamente do perdão de dentro dEle, olhando as penas dela, a Toda Azul

Ah, aqueles dois. Aqui.

Mas as suas lágrimas misturadas ao sangue mancharam o Centro muito Alvo do seu Peito.
E aquela mancha nunca mais sumiu.
Ali, a brancura não retornasse, não retornava

E Ele, se perguntando, olhasse o seu peito manchado na claridade do Lago

- Qual é o Lugar do Perdão?

E só a voz do vento, suavemente passando sobre a água não lhe dizendo nada, ou já isso a Resposta

aqueles dois, ah

Não fosse Ele ficar todo escuro, se Ela fizesse novamente aquilo.
As Unhas, ah

aqueles dois. Com mãos.

Na Noite as mãos deles se conheciam em Sonhos.

e o Vento, nas águas do lago. Suavemente

Silêncio.

Silêncio.

Amanhecia. Quantos dias houvessem passado desde a primeira vez. Pois a segunda vez veio.
O Segundo Dia das unhas dela no seu Rosto.

Para ela não fosse o Rosto, aquilo. Só um rosto que se tem na face e para nada?

Não recontar o já contado.

Porque nem sempre basta ser a Testemunha. Agora,
sintam em vocês unhas invadindo a carne, buscando lá no fundo o sangue, a Dor nele adormecido.

Despertou como um animal, uivasse.
Se erguesse no Leito.
No Escuro.
Em outra Noite, esta, passando por eles.
E Seu Peito ficou mais escuro. E a Mancha, no centro, se ampliando

E o seu Grito foi se misturar à voz do Vento passando sobre o Lago, em silêncio

Então,

silêncio e Som. E diz-se disso: Rugido de Dor.

E Espanto.

Quando amanheceu, saiu da casa para iluminar seu peito mais escuro sob o sol. Tentasse daquela Luz recuperar a Alvura, mas quando a nova Noite, o peito escureceu mais ainda, sem luz. O Centro Escuro,

escurecendo.

E no novo amanhecer, novamente tentasse: a Brancura perdida, sob o Sol.
Mas não vendo a Luz sem Sol,

não entendendo que a Luz só usasse o Sol para se manifestar, visível,

e não sabendo ver a Luz em si,

e pensando que era o Fogo do Sol que acendia aquela Luz,

como pudesse então restaurar a Brancura?
Peito escurecido.
E ficasse apenas se queimando mais ainda no fogo do sol, e à noite, na outra que veio

foi dormir,

mas não adormecia mais aquele peito, que pulsava, no Escuro,
mais escuro ainda

Aqueles dois.

Ele, Ela
Ela, Ele

Jamais teria havido um Nós não separando aqueles

2?

E a Luz também escurecendo no fundo dos Seus Olhos

Pois, antes, sim

teria havido um Nós

o

1

o nÓ

tendo pousado neles e os atado. Um ao outro, atados. Não para sempre?
Não
Para sempre não

Deixem eu lhes contar como se deu.
Quero dizer: Aquela Luz se dando a eles,

que havia vindo.
Antes destes dias de unhas, as Unhas,
e sangue coagulado, e peito Negro.

E Onde o Perdão? Qual seu Lugar agora no Escuro que crescia entre aqueles dois,

ah

aqueles dois, ele ela eles

Estavam
um dia na lentidão do Lago.

As Lentidões que nos preparam para as Dádivas.
Vocês sabem como é, como são
as Lentidões que nos preparam para Dádivas

- Sabem?

e na lentidão do Lago, as águas passando lá, mas não, como depois passariam nos olhos dele, e dela, como verão

porque ainda não havia vindo o tempo das Lágrimas

Então,
a lentidão, o Lago, a Lentidão das águas penetrando neles e reduzindo as vertigens do sangue, neles,

do Céu desceu uma Luz,
subitamente
que mergulhou seus Olhos na vastidão profunda do Céu
nos Seus Olhos.

E neles se instalou,
Se acrescentou.
A eles se Doou.
Se fundiu.

Como em todos nós, havendo olhos sem luz, no mais atrás dos olhos mesmo que por fora se olhe e se veja e se diga:
que olhos Claros, os teus
como em todos nós, neles, também, uns olhos, por trás dos olhos, numa penumbra, e sem Luz.

Mas aquela Luz, do Céu,
o Lago,
as Lentidões
não havia ainda lágrimas, seu Tempo ainda não chegara
e aquela Luz, descendo, Céu abaixo seus olhos

- Cintilaram.

Ah.
E foi um Fulgor com suas próprias Claridades, diz-se disso:

o aMor: a Miragem de Cinzas
pois quem poderia se manter encoberto Face ao que, a cada vez, nunca declina? Nos pergunta, em Heráclito, O obscuro

Se viram como não se vendo.
Ela e Ele, eles.
Que antes, se vendo, não se viam.
Era a Luz. Do Céu, descida
que Eleva.

Vocês sabem como é
Sabem?

E o Nós veio para aqueles dois

e 1+1=1.

oh, a Graça recebida
Em plenos Olhos, plenamente

Com esses Olhos se viram longamente, profundamente.
E eram como Um Só se vendo.
Adormecessem se vendo em sonhos, e nem pálpebras baixadas punham fim aquilo.
Aquilo. O Todo Encanto

Como saberiam como é, se vocês fossem
O Todo Encanto



Se esqueceram seus nomes, pois havendo se tornado
O Nome:
o aMor
o noMe aMor,
mas já Sem Nome.

E ela se tornou o Seu Nome dele, e ele o Seu Nome Dela.

E assim, agora os Inomináveis,
se ouvissem, sem dizer
se diziam, sem falar.

Toda palavra abolida, vã. E os dias passassem, por eles, sem passar
Passando

E a Água no Lago, passando. Mas

o Lago não se movia do Lugar.

Enquanto, neles, algo Oh

algo se Movia.

o Vão. Vindo

Fosse o que aquele movimento, que no início não se percebia, e aos poucos já se pressentia, e aos poucos velozmente já saía por seus olhos

- a Luz dos Céus, doada, a Doada, a eles,

fugindo?
por que todo Surgimento já se inclina para seu Ocultamento, ó Obscuro?
Não saberemos o que se deu. Não sabemos essas coisas, em nós, se existindo por elas mesmas, como Sonhos, devorados, vindo

e É em nós.

O Certo é que um dia, nela,
as Unhas.

e nele o sangue. A coagulação se dando, a Cicatriz
foram muitas as cicatrizes se formando

o Peito Escurecendo.

E onde,
Onde
O Lugar do Perdão?

Fosse o Animal despertando, neles vindo à tona, novamente,
E outra vez sua Sombra cobrindo a Luz do Céu, doada?

A Doada, ah

Há esses dois, agora


No Lago,
As águas não se agitam. Passam
e, imóveis, o Lago e o Vento:

as Testemunhas da Tristeza.

A Casa fica perto do lago. Mas agora tão longe

Entre a Casa e o Lago se instalou uma presença escura,
a fechada passagem.

Diz-se: a Vida, quando se torna Pedra sem Luz.

Como se o Sol houvesse morrido até para o Fogo, que é seu Dom de iluminar incêndios

A Pedra Escura
entre eles e o lago

a Presença Negra, agora.

Nem vissem aquela Pedra, noturna, assim instalada entre seus olhos e a impossível visão dos seus Rostos no Espelho, diz-se: de Água,
do Lago
de Luz.

Já nem vissem.

Depois vieram os dias em que, tendo rasgado mais uma vez mais vez a carne do seu Rosto,
que nem rosto rostinho de nada já havendo se tornado

vieram os dias das Quedas das unhas

e se ela rasgava a carne
com Olhos Escuros,

e o peito dele, a Mancha no Centro se ampliando,

mais se enegrecia

- as unhas dela caíam. Ficavam ali, por ali, espalhadas pela terra, aos pés dele,

se afogando em lágrimas, em sangue.

E ele se curvava como quem está sofrendo,
se curva,
mas não era pela Dor:

apanhava as unhas, Colhia. Uma a uma,
e as depositava nas mãos dela,
estendidas.

Recolocava as unhas, uma a uma.
Ela.

Os dias passavam, agora Passando, e para sempre, para eles, esses dias que nunca mais retornassem
os perdidos, para sempre, no Escuro

Dia e Noite

toda a vida escura para ela e ele, agora

E outro dia vindo,
outra vez as Unhas voltaram ao rosto de nada dele,
havendo voltado às mãos dela.

Caíam, as unhas, após a carne, ferida, rasgada, o Sangue, a Coagulação, a Cicatriz se formando, embranquecendo outra vez, no Peito a Mancha cada vez mais negra: a Negra

E onde,

Onde?
- O Lugar do Perdão?

Houvesse nele um Sentimento de Estrelas,
houvesse,
porém,
O Apesar,

pois depressa deu para colher as unhas com gestos não de semeador mas de colhedor de Sementes,
e já não as punhas nas palmas das mãos dela,
as estendidas

Em vez, colhidas as Sementes Unhas,
semeava, uma a uma, as Unhas
novamente nos dedos dela

o Gentil

ah Suavemente

Pretendesse assim transformar aquelas Unhas de Dores em Lã de Ternura?

Convertê-las?

pretendesse

pretendesse

pretendesse
lá,

está lá o Lago, que não se move,
o Vento, imóvel

Testemunhando isso: o Pretendesse, dele,
renovando o Pretendente
dela
pois queria,
ah,
ele e Ela
e como ele queria achar, com suas mãos em Sonhos, o Lugar, o Espelho
perdido,
no seu Peito Enegrecido,
do Perdão

Fim de Aqueles dois, Ali: Ele

e agora leiam este Tecido de Palavras não como Antes foi tecido, Desteçam: e releiam, imaginem, invertendo as Mãos que Afagam & Apedrejam

Leiam, agora, Assim:

tarde demais
- Ela disse a Ele.
- Agora já começou a sangrar. Tarde demais, ele disse a ela, pois o sangue, após as unhas dEle, não fossem lágrimas descendo dos olhos dEla,

embora parecendo.

Mas as lágrimas logo vieram, seguindo o mesmo caminho do sangue. E, gota a gota, lágrimaSSangue, umas serpentes, deslizando, jorrando para a terra, sobre a Terra, aos seus pés.

- Tarde demais, ele dizendo.
E ela:
- Mas não te culpes, porque logo virão: o sangue coagulado, a cicatriz, e a cicatriz ficando branca, embranquecendo embranquecendo, Tu e Eu logo esqueceremos as tuas unhas ainda há pouco cravadas no meu Rosto

Foi como foi dito, e acima está escrito. E mais acima Acima


pois quem poderia se manter encoberto Face ao que, a cada vez, nunca declina?
Nos pergunta, em Herálico, O obscuro

- a Luz dos Céus, doada, a Doada, a eles,

fugindo?
por que todo Surgimento já se inclina para seu Ocultamento, ó Obscuro?
Não sabemos essas coisas, em nós, se existindo por elas mesmas, como Sonhos, devorados, vindo

e É em nós.

Há esses dois,
Lá, Aqui
No Lago,
As águas não se agitam. Passam
e, imóveis, o Lago e o Vento:

as Testemunhas

%

e se Tu lesses, em Ti, agora Uno, nem masculino nem feminino, este Tecido de Palavras antes dele ter sido tecido com Unhas pela primeira vez?
é Bem Dentro da Carne e do Espelho Sutil

Relesses, Agora assim:
# tarde demais
Fim de Aqueles dois, Ali
A viagem a Andara não tem fim

==

Do site: colhido do site: http://www.triplov.org/letras/vicente_cecim/index.htm

============

Encontrei na poesia do paraense Vicente Franz Cecim a mesma força e vigor encontrado na poesia dos grandes mestres da poesia Universal, ou seja, dizem do quintal comum ao peito de quem vive e pulsa. Aos que o peito não pulsa e ainda vivem, a esses, ah!, a poesia nada diz, talvez, um raio de luz numa caverna.

A seguir a agenda

GRANDE abraço!!!

A.


=======


Setembro - SUMÁRIO

Sexta, 04
1 - PROJETO FREGUESIA

2 - Agenda do Choro

Sábado, 05
1 - Coverama - Última eliminatória...!!!

2 - Sessão Notívagos: Filme - Recife Beat Show: NaUrêa

3 - Intervenção CONELIZADOS, de Fábio Sampaio

Segunda, 07
1 - Rua da Cultura

Terça, 08
1 - Exposição no ESPAÇO CULTURAL YÁZIGI

Quarta, 09
1 - Clube do Jazz, apresentação ERNESTO SEIDL

Sexta, 11
1 - Workshop de Dança Cigana

==

E MAIS...

dia 17

Vicente Coda
apresenta:




===

e dia 20 tem

EU SOU DO ROCK!

mais um evento

BOCA D'FORNO Produções

--
mais detalhes no final desse 'post'.


=========


AGENDA

Sexta, 04


PROJETO FREGUESIA

A iniciativa foi criada em 2001 pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) com o objetivo de promover a cultura local e revitalizar feiras de artesanato e de comidas típicas da cidade.
Hoje o Freguesia está mais dinâmico e movimenta o público em quatro pontos da cidade:

- Praça Olímpio Cmapos - sextas-feiras das 12:00 hs às 14:00 hs;

- Mirante da 13 de Julho - às sextas, 18hs às 20hs;

- Orla/ Feirinha do Aratipe - sábados das 20hs às 22hs;

- Praça Tobias Barreto - domingos das 20hs às 22hs.


PARTICIPE!!! DIVULGUE !!!

Mais informações: 3179-3695

Leia mais sobre o Projeto Freguesia nessa matéria do site INFONET

==

PROGRAMAÇÃO SUBÚRB!A

04/09 Sexta - Britânica + Severina + Dj Marcos Mad (UMA HORA DE ICE DOBRADA) (abertura da casa - 22h)

05/09 Sábado - Disco Beat + Mr. Fly + Dj Marcos Mad. (AS 100 PRIMEIRAS MULHERES SÃO FREE ATÉ ÀS 23h). (abertura da casa - 22h)

06/09 Domingo - Boteco da Suburbia - Realce + Classe A + Participação Ronise Ramos + Dj Marcos Mad (abertura da casa - 18h)

Ingressos antecipados na Stalker (Shopping Jardins)

www.portalrcn.com/suburbia

Fone: 3042-0704


==

A G E N D A
do
C H O R O

Bar
Cantinho da Boemia
ÀS SEXTAS-FEIRAS, 20H30

Av João Ribeiro, 1416
(antes do semáforo da ladeira da Colina do Santo Antonio)
Aos sábados a casa recebe o Samba, no mesmo horário.

=

Bar
Chorinho do Inácio
AOS SÁBADOS e DOMINGOS, 16 às 21h00
Rua Canadá, 343 - B. Novo Paraíso (é uma transversal da Rua Rio Grande do Sul, próximo à COHIDRO).
Compre o CD do Grupo - contato: Inácio 79 9136-1803

=

Bar
Recanto do Chorinho
AOS DOMINGOS, 17h00 às 19h30 (é sério!, depois rola outro som ao vivo)

Além da boa música, a casa serve bebidas, refeições e petiscos para todos os gostos.
Convert R$ 5,00

no Parque da Cidade.

Se apresenta a

Banda do Chorinho

Egnaldo - Bandolim e voz e percussão
Souza Cavaquinho
Saul Violão
Dão violão
Rivaldo & Nancy - voz

às 4ª e depois do chorinho, das 20 às 23h00, seresta.

Contato: Leidinha 79 8135-2330

==

Chorinho NAS RÁDIOS
APERIPÊ,
AM - Programa Domingo no Clube,
apresentado por Sérgio Thadeu, o programa, criado por seu pai há quase 22 anos, é uma verdadeira celebração ao Choro, buscando sempre apresentar novidades ou resgatar clássicos do fundo do baú। Um verdadeiro banquete pra quem gosta do ótimo Choro! Vai ao ar todos os domingos das 7 às 9h00
Contato: Sérgio Tadeu domingonoclube@gmail.com

==

FM, Programa Choros e Canções,
apresentado por Ricardo Gama, o programa choros e canções vai ao ar na Aperipê FM sempre às 18h, de segunda à sexta.
Contato: chorosecancoes@aperipe.se.gov.br


==

Sábado, 05

COVERAMA NESTE SÁBADO AS 19:00

..::5ª Eliminatória | 5 de setembro::..



ORDEM DAS BANDAS
1. Velhas Virgens
2. Sex Pistols
3. Within Temptation
4. Legião Urbana
5. Dream Theater
6. The Animals
7. Franz Ferdinand
8. Madonna
9. The Police

Autorização para menores : http://www.coverama.com.br/wp-content/uploads/importante/coverama2009_autorizacao.pdf

www.coverama.com.br

==

Intervenção urbana: “CONELIZADOS”



O artista plástico Fábio sampaio,irá realizar mais uma intervenção do Projeto “interacidade”, o qual vem sendo desenvolvido desde o ano de 2001.A intevenção acontecerá no dia 05 de setembro às 15:00h, nas 02 faixas de pedestres, em frente a entrada do Shopping jardins.Cerca de 30 pessoas de mãos dadas e com camisetas estampadas com o desenho de um cone de sinalização,irão parar o trânsito nas duas pistas por alguns segundos.Na visão do artista a intervenção tem a função de alertar de uma forma divertida e participativa, o crescimento do fluxo de carros na cidade, e a necessidade de um trânsito mais seguro tanto para motoristas e pedestres.

==

No mesmo Jardins haverá a

Sessão Notívagos

Sessão Notívagos:

Filme - Recife Beat

Duração: 85 minutos – Produtora: TVC Produções Artísticas – Direção: Pedro Paulo Carneiro – Produção: Roberto Lamounier

O filme é sobre como Recife deu ao Brasil a cena musical mais interessante dos últimos 20 anos: o manguebeat. Com o festival Rec Beat como pano de fundo, os protagonistas desse movimento, encabeçado por Chico Science, contam em primeira pessoa todos os detalhes que levaram a cultura pernambucana a conectar-se com as últimas tendências da música, do teatro, da dança, da distribuição de informação, do cinema e da cultura popular. Um documento completo para entender os caminhos da nova música brasileira.

Roberto Nunes
Cine Vídeo e Educação

Show: NaUrêa



que "procura unir na sua programação, dentro de uma perspectiva transversal , todas as artes, teatro, dança, música, filmes, entre outras manifestações artísticas."

Veja as fotos da primeira e da segunda Sessão Notívagos:
http://www.flickr.com/photos/cinecult

- Blog: http://cinevideoeducacao.wordpress.com

- Twitter: http://twitter.com/cinecult


==

Segunda, 07

toda segunda tem

RUA DA CULTURA

Saiba de sua programação em

http://www.ruadacultura.blogspot.com/


==
Terça, 08

no Espaço Cultural Yázigi




Desencontrários
é a próxima exposição do Espaço Cultural Yázigi que traz o casal Sérgio e Lana, ambos artistas plásticos e diretores de arte com vasta experiência no cinema brasileiro.

Sérgio, nascido no Rio de Janeiro/RJ, como diretor de arte, cenógrafo e figurinista em cinema e teatro já teve sua assinatura em mais de 40 longas nacionais e internacionais, entre os quais vale citar: “Eu sei que vou te amar”; “O Quatrilho”; “O dia da caça”; “Oriundi”; “Policarpo Quaresma”; “A estrela solitária”; “A selva”; “Anita Garibaldi”; “Garibaldi in América”; “O eclipse”; “As tentações do irmão Sebastião”; “Siri Ara”; “O Senhor do Labirinto”.

Lana, nascida em Fortaleza/CE dividiu muitos dos trabalhos com Sérgio tendo sua assinatura como diretora de arte em “O Grão”. Como figurinista, assinou “Siri Ara”. E como cenógrafa, assinou “A estrela solitária”, “O Senhor do Labirinto”, “O eclipse”, “A selva”, “Anita Garibaldi”, “Garibaldi in América” e “As tentações do irmão Sebastião”.

Dois artistas plásticos escondidos por trás das cenografias e câmeras do cinema, que escolheram Sergipe como morada durante as gravações de “O Senhor do Labirinto”, e por aqui ficaram. E enquanto o cinema outra vez não os levarem para outras “plagas”, eles apresentam nesta mostra em Panôs e Assemblage, o segredo de seus ateliers.

O coquetel de abertura oferecido pelo Restaurante Parati, acontecerá às 20h do dia 8 de setembro de 2009 na galeria do ECY, situado à Rua vereador João Calazans, 494 – 13 de julho. A mostra permanecerá em cartaz até o dia 30 de setembro.


==


Quarta, 09


TODAS AS QUARTAS tem

Clube do Jazz

das 20 às 22h00

na Aperipê FM, 104.9

Não deixem de conferir também o novíssimo Blog do Clube do Jazz em
http://programaclubedojazz.wordpress.com

Apresentação e produção

Ernesto Seidl

====

Sexta, 11

Workshop de Dança Cigana




==

Sábado, 12




==


OUTRAS COISAS...

CINEMA

Terça-feira é dia de ir ao cinema na Rede Cinemark pagando menos

EM SETEMBRO, A PROMOÇÃO “TERÇA NA TELA” LEVA INGRESSOS A R$ 6 (INTEIRA) E R$ 3 (MEIA) AOS COMPLEXOS DE ARACAJU

Durante o mês de setembro, a Rede Cinemark promove a Terça na Tela nos complexos do Shopping Jardins e do Shopping Riomar. Em todas as terças-feiras do mês – 8, 15, 22 e 29/9 –, o espectador poderá assistir a qualquer filme, em todos os horários, pelo valor promocional de R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia) por ingresso. Nos dias de promoção, o snack bar também venderá um combo especial (pipoca promocional + refrigerante 300 ml + bombom Serenata de Amor) por R$ 3,50. A promoção não é válida aos feriados. A programação dos cinemas está disponível em www.cinemark.com.br

E

Cine Cult da Rede Cinemark exibe "Dois em Um" e "Ninho Vazio"

DIARIAMENTE, ÀS 14H, OS INGRESSOS CUSTAM R$ 7 E R$ 3,50

Nesta sexta-feira, dia 4, a comédia francesa "Dois em Um", de Bruno Lavaine
e Nicolas Charlet, entra em cartaz no Cine Cult da Rede Cinemark no Shopping
Jardins. Já no complexo do Shopping Riomar, o drama "Ninho Vazio", de Daniel
Burman, é o escolhido para participar da sessão alternativa. Até 10 de
setembro, às 14h, o espectador poderá assistir aos filmes pagando R$ 7
(inteira) e R$ 3,50 (meia) pelo ingresso. Todo o conforto da Rede Cinemark
por um preço promocional imperdível. Para conferir toda a programação,
acesse o site: www.cinemark.com.br .

O Cine Cult surgiu como forma de oferecer aos moradores de Aracaju uma
programação alternativa, mas com a mesma qualidade do que já é exibido nos
cinemas da Rede Cinemark em todo o Brasil. O público irá encontrar filmes de
diversas cinematografias, entre asiáticos, europeus, latino-americanos, além
do cinema nacional de ficção mais autoral e documental. O projeto é uma
parceria da Rede e da produtora Cine Vídeo e Educação - Ações Culturais, de
Aracaju, coordenada pelo produtor cultural Roberto Nunes. A produtora
promove projetos de difusão cinematográfica desde 1991. Já existe Cine Cult
em 15 cidades do país: Aracaju (SE), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF),
Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Jacareí (SP), Manaus
(AM), Natal (RN), Ribeirão Preto (SP), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA),
São José (SP), São Paulo (SP) e Vitória (ES).

Serviço

DOIS EM UM
França, 2008, comédia, 90 minutos
Direção: Bruno Lavaine & Nicolas Charlet

Sinopse: Gilles Gabriel é um músico dos anos 80, tentando retomar o sucesso.
Porém, quando atropela um contador tímido, acaba morrendo no acidente. Seu
espírito vai parar dentro do corpo do sujeito, que era todo certinho.

NINHO VAZIO
Argentina/Espanha/França/Itália, 2008, 91 minutos
Direção: Daniel Burman

Sinopse: Quando os filhos de Leonardo e Martha saem de casa, os dois voltam
a conviver de forma intensa. Martha retoma a faculdade e uma vida social.
Leonardo, escritor renomado, sente medo das transformações em seu entorno e
vê uma crise de meia-idade se aproximar. Para descobrir como se acomodar à
nova vida e salvar o casamento, Leonardo se entrega à imaginação e embarca
numa longa viagem interior.

Shopping Jardins: Av. Ministro Geraldo Barreto Sobral, 215 - Jardim
Shopping Riomar: Rua Delmiro Gouveia s/nº

===


dia 17 de setembro




O ENCANTO DAS POSSIBILIDADES


O artista plástico Vicente Coda, em comemoração aos seus 15 anos de convivência com as artes plásticas, convida para a sua exposição “O Encanto das Possibilidades” de 17/09 a 01/10/09, na Galeria J. Inácio, no hall da Biblioteca Pública Epfânio Dória. O vernissage será no dia 17/09/09 às 19:30 h.

O Encanto das Possibilidades está dividido em quatro momentos: Telas inéditas, uma instalação, artesanato e fotografias. Esta última compõe-se de quatro partes: PESADELO, SADOMASO, ANATOMIA e MISTICISMO.

O artista acredita que, a Arte pelo seu aspecto inquieto e belo, e pela enorme força criadora que comporta, o faz criar e refletir sobre o alargamento de linguagens usadas em seu nome. É na representação artística, que encontra o poder para apresentar a sua inquieta criatividade e a liberdade para expressar variadas formas e opções, inclusive fazendo uso da tecnologia como parâmetro de criação de um trabalho visual.

Diferentes das demais formas até então trabalhadas por ele, a proposta é mesclar o pincel e a cibernética, explorando as tendências que coexistem contemporaneamente, sem preconceitos e sem apego a beleza estética.

O diferencial é que, enquanto artista ele optou por não ser o fotógrafo e sim o foco a ser fotografado, interpretando diversos personagens conforme a concepção da obra. A fotógrafa foi Terezinha A. F. Araujo.

Nas telas produziu algumas abstrações, onde tenta refletir as escolhas e os sentimentos que são a essência do cotidiano do ser humano. As telas figurativas retratam a sensualidade do feminino, focando as mais diversas formas de expressão corporal, articulando um diálogo com o masculino retratado nas fotografias.

A instalação “Vai-idade” é mais um elemento que retrata uma das facetas do comportamento humano que é a vaidade.

Primavera de 2009
Vicente Coda

==

dia 19





===================


PREPAREM-SE!!!

DIA 20 DE SETEMBRO



EU SOU DO ROCK!
Dia 20 de Setembro ( domingo) apartir das 15hs no Teatro Lourival Baptiata:

One Last Sunset (AJU).
Karne Krua (AJU).
Dark Visions (Tobias Barreto).
INRIsório (AJU).
"Superapocalipseoverdrive DJs"

Mine-Ramp Skate.
Tatoo.
Camisas.
Cds.
Comidas.
Bar.

Incrição para o Eu sou do Rock 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário