17 de março de 2013

Arte e Cultura em Aracaju, de ontem até a próxima semana



‎"[...] é uma distância tão enorme que não pode medir-se a gritos.[...]"

Veja como são as coisas: Cliquei 'marcar todos' e selecionei e-mails para excluir. Como vi que no 1º tinha a palavra 'POESIA', resolvi abrir e encontrei o que compartilho com vcs nesse post. Um poema para o PROgCult desta semana e também um poema que de cara me remeteu aos aspectos todos que (foi) (é) (está sendo) (vai ser) essa construção coletiva, esse MANIFESTO (leia completo lá embaixo, no final da postagem).


Me ensinou o João Cabral que a história de uma cidade é como o ferro fundido e o ferro forjado da sua poesia, que segue abaixo para adoçar a nossa já adocicada tarde. 

SAÚDE!


Manifesto - MANIFESTA!!!






poesia

João Cabral de Melo Neto



Um ferrageiro de Carmona,
que me informava de um balcão:
"Aquilo? É de ferro fundido,
foi a forma que fez, não a mão.

Só trabalho em ferro forjado
que é quando se trabalha ferro
então, corpo a corpo com ele,
domo-o, dobro-o, até o onde
quero.

O ferro fundido é sem luta
é só derramá-lo na forma.
Não há nele a queda de braço
e o cara a cara de uma forja.

Existe a grande diferença
do ferro forjado ao fundido:
é uma distância tão enorme
que não pode medir-se a gritos.

Conhece a Giralda, em Sevilha?
De certo subiu lá em cima.
Reparou nas flores de ferro dos quatro jarros das esquinas?

Pois aquilo é ferro forjado.
Flores criadas numa outra
língua.
Nada têm das flores de forma,
moldadas pelas das campinas.

Dou-lhe aqui humilde receita,
Ao senhor que dizem ser poeta:
O ferro não deve fundir-se
nem deve a voz ter diarréia.

Forjar: domar o ferro à força,
Não até uma flor já sabida,
Mas ao que pode até ser flor
Se flor parece a quem o diga.


--

Fonte: [correio-de-luz], enviada por A. M Basílio)



--

Vou ficar por muitos anos ainda, até a morte ou depois!, com a lembrança da noite de ontem... foi sensacional! Nela aprendi algo meio que evidente, mas se não mostrado, invisível ficaria. '
Cultura não é apenas aquilo se vê, é também o que carregamos dentro de nós e enxergamos quando mesmo estando de olhos fechados'. Ou como diz o poeta JP Paes, "A cultura não é o que entra pelos seus olhos, é o que modifica seu olhar"

GRANDE abraço!!! 

André Teixeira



==









A convergência midiática no jornal El País

O termo convergência deriva do verbo transitivo regular convergir. Entre as definições várias, a mais simples: "ir para um ponto comum". O jornal espanhol El País em relação ao sentido de convergência tecnológica aplicada às dinâmicas do jornalismo, que permitem que através de um mesmo suporte se tenha acesso a serviços que anteriormente se davam por meio de suportes múltiplos, apresenta não só elementos de inovação, partindo do jornal impresso para a versão on-line, essa, tendência mundial, mas apresenta também uma inversão de valores, posto que o caminho contrário foi feito: a versão on-lline influenciou e impôs à edição impressa. 

Através de sua interface online,http://elpais.com/, que agrega em seu conteúdo audiovisual e de fotografia, o jornal diário El País se apresenta como líder no setor que atua, apresentando inovação e ousadia ao oferecer ao seu usuário um dinamismo e profissionalismo que, indiscutível, o mantêm no nível dos melhores, se tornando, de acordo com Juliana da Escossia, pesquisadora e autora do texto base para elaboração deste, “Um dos jornais mais importantes na Europa do ponto de vista da convergência tecnológica e da utilização de recursos multimídia”. 

Algumas das características da convergência tecnológica do El País são “hipertextualidade, interatividade, personalização, instantaneidade, atualidade, memória e multimidialidade.”, “categorias centrais do jornalismo online” e elementos pelos quais se propõe uma “convergência cultural”, termo que a autora referencia Henry Jenkins como “quando o conteúdo de um meio de comunicação passa a circular por outros canais midiáticos.” (pg. 7 e 8). 
Citando Suzana Barbosa, informa que “a convergência jornalística seria uma oportunidade para renovar o jornalismo e atualizá-lo frente às demandas do público do século XXI”, posto que “além de significar integração entremeios distintos”, permitem um remix nos elementos da publicação e distribuição dos conteúdos, bem como uma mudança no perfil do profissional do setor, que pensa a produção da notícia voltada para multimeios. 
O ponto chave em seu texto é o estudo da a convergência arte/comunicação e sua importância para o jornalismo. Em sua análise do jornal, a autora identifica que não só a arte aliada à comunicação servem para renovar os ares dos jornais, como, principalmente, dar-lhe maior fôlego em sua existência.
A construção do jornalismo online se dá como a construção de um barco, só que nesse caso o barco ainda não está concluído, mas já está navegando, e sua construção não pode parar. 


André Teixeira




==


Novidades na

LOJINHA dos DISCOS

Chorinhos com ODIR CAIOS




==



Próximo  sábado tem edição de aniversário do programa



Entrevista com Sílvio Campos  



Vocalista da Karne Krua, Máquina Blues, Words Guerrilla, A Cruz da Donzela, Sublevação,Logorréia, Casca Grossa (guitarra) e do projeto SARTANA!!!

Confiram novas músicas e algumas verdades sobre  a música!

Sábado, das 21 às 22h00


==

programação completa...




Segunda, 18




Terça, 19




==







==


CONVITE  XXII SALÃO DOS NOVOS/2013 - GALERIA ÁLVARO SANTOS


Exposição Coletiva  XXII  “Salão dos Novos”.

Luiz Adelmo Diretor da Galeria de Arte Álvaro Santos, convida a todos
para a Exposição Coletiva XXII Salão dos Novos".

ABERTURA: 19 de março a partir das 20 horas | terça-feira

PERÍODO DE VISITAÇÃO:  20 de março  a 20 de abril das 8:00 horas às
18:00 horas e sábado das 9 horas às 13 horas.

LOCAL: Galeria de Arte Álvaro Santos, Praça Olímpio Campos, s/n,
Centro - Aracaju/SE – Tel: 3179-1308



==


TIO MANECO apresenta




==


Quarta, 20





==


Quinta, 21


Uma noite muito especial com show, exposição, lançamento do livro e exibição do documentário: AracaJouBert! Esperamos por vocês!




==





==


Tio Maneco apresenta

Fábio Snoozer

Fabio Snoozer volta ao palco do Tio Maneco Botequices dando uma geral em suas influências musicais.

Uma parte da apresentação será um tributo ao lendário álbum dos Smashing Pumpkins, "Mellon Collie and The Infinite Sadness", lançado em 1996 e reeditado em caixa comemorativa no ano passado. Fabinho tocará 12 das 28 músicas do álbum duplo original.
Além disso, estarão no repertório compositores dos anos 70 como David Bowie, Nick Drake e Neil Young, além de uma passagem por Seattle (Alice in Chains, Soundgarden) e curiosidades como Kinks, Big Star e Black Sabbath

20h

R$5


==


Sexta, 22




Vamos prestigiar a 1ª temporada do Grupo Brasileiríssimo no delicioso e aconchegante Café da Gente. Todos poderão desfrutar nos dias todas as sextas feiras a partir de 22 de fevereiro às 19 horas, da fusão entre as culturas musical e gastronômica em um dos points mais importantes da cultura sergipana.

Couvert artístico: R$10,00



==






PROGRAMAÇÃO


Quinta-feira 

20h - O Natimorto (Grupo Caixa Cênica) [ESTREIA 4 DE ABRIL]
da obra de Lorenço Mutrelli 

Sexta-feira 

19h- Na hora H (Grupo Êxtase)
21h- O Coiote (Cia. de Teatro Stultifera Navis)

Sábado 

20h- A Lição (Cia. de Teatro Stultifera Navis)
21h- C(S)em Nelson! (Cia. de Teatro Stultifera Navis)

Domingo

17h- Faz de conta (Companhia Ponto de Teatro)




==


Clássicos ao piano com Manuel Vieira Jr.


O pianista Manoel Vieira Jr. toca classicos em seu teclado a partir das 21h

Local: Restaurante Armazem Bacco. 



Couvert artistico - R$ 5



==


Sextas e Sábados





Saindo do habitual som de barzinho, Mário João e Paulinho Araújo se misturam entre instrumentos e vozes trazendo músicas que viajam desde o rock ao baião, do samba a milonga e da bossa-nova ao folk. Sextas e Sábados na Villa Madre Pizzaria que fica entre o Di Vino e a Pandoro na rua Professor Antônio Fagundes de Melo, 156, Treze de Julho.


==


Sábado, 23






==




Alejandro Habib toca clássicos do jazz a partir das 21h00

Local: Restaurante do Armazem Bacco. 

Couvert artistico - R$ 5



==


AGENDA

do

CHORO


Indicamos onde você pode encontrar chorinho ao vivo ou ao rádio, em Aracaju. Quem souber de alterações ou de novos lugares, grupos ou programas, por favor me informe. A intenção é fomentar público para esse gênero musical que quanto mais ouço mais aprecio.

André Teixeira


Renovação do Choro
Bar Chorinho do Inácio


sábados e domingos, 16 às 21h00

ONDE: Rua Canadá, 343 - B. Novo Paraíso (é uma transversal da Rua Rio Grande do Sul, próximo à COHIDRO).


Contato: Inácio 79 9136-1803      

Couvert R$ 4,00


=


Regional Recanto do Chorinho




Bar Recanto do Chorinho


Chorinho aos sábados e domingos



Sábado -- 15 às 18h

Domingos -- das 17 às 20h00 (PONTUALMENTE) Das 20h30 até 00h00 tem o som da Lenny Hall - música romântica)


Além da boa música, a casa serve bebidas, refeições e petiscos para todos os gostos. Fica localizado no Parque da Cidade. Veja algumas fotos do Parque.


Convert R$ 10,00


==




APERIPÊ AM




CHORINHO NAS RÁDIOS




Apresentado por Sérgio Thadeu, o programa, criado por seu pai em setembro de 1985, é uma verdadeira celebração ao Choro, buscando sempre apresentar novidades ou resgatar clássicos do fundo do baú. Um verdadeiro banquete pra quem gosta do ótimo Choro! Vai ao ar todos os domingos das 7 às 9h00




Contato: Sérgio Tadeu




domingonoclube@gmail.com


=


APERIPÊ FM - Programa Choros e Canções,




Apresentado por Ricardo Gama, o programa choros e canções vai ao ar na Aperipê FM sempre às 18h, de segunda à sexta.





Contato: chorosecancoes@aperipe.se.gov.br

 ==


Domingo, 24



==


PRÓXIMOS EVENTOS...

5 DE ABRIL






Na primeira sexta-feira de Abril a noite da Atalaia Nova será embalada por muita música livre e sons alucinantes com as bandas Lêmures, Ato Libertário e Plástico Lunar que vão garantir a fuga para praia no melhor espírito rock n’ roll!

Onde: No Restaurante e Pousada Irineu’s > Praia da Costa

Horário : 22:00

Entrada: 15 R$

Mapa do local: http://goo.gl/maps/zJcNq

Perfis das bandas :

Lêmures - https://www.facebook.com/pages/Lêmures/272398979450429?ref=hl

Ato Libertário - https://www.facebook.com/bandaatolibertario?ref=ts&fref=ts 

Plástico Lunar - https://www.facebook.com/bandaplasticolunar?ref=ts&fref=ts


Teaser - http://www.youtube.com/watch?v=9RLtii53Y04





:::::::::::::::::::::::::   :::::::::::::::::::::::::::



Poe-mails ou poemeio


Este livro nasceu da mesma forma que os poemas que lhe dão corpo e alma: do acaso do olhar encontrar e tentar registrar o belo com essa máquina de fotografar sentimento que é a linguagem. Utilizei como processo de escrita não ter um processo de escrita. O norte maior foi sempre o sentir dessa relação com a provocante Beleza, onde quer que Ela  se manifestasse: numa palavra ou comentário, numa pintura ou foto, numa   música, no silêncio ou até mesmo no vazio pós tudo. Foi escrito entre os anos de 2007 e 2010, utilizando como suporte o meio ambiente digital.


LEIA MAIS AQUI]



[AQUI, entrevista concedida ao jornalista Rian Santos em seu blog Spleen e Charutos,sobre o livro 'poe-mails' 



O livro está registrado sob licença Creative Commons 3.0. Significa que ele pode ser copiado e distribuído desde que sem finalidade comercial. Além disso pode ser modificado e redistribuído.

Saiba mais em http://creativecommons.org/licenses/by-nc-sa/3.0/br/legalcode


:::::::::::::::::::::::::::::::





MANIFESTO, MANIFESTA! (VAMOS COMPARTILHAR!!)

A hora é agora - entretenimento, educação, transparência e investimento em Sergipe.

E se fosse investido, na cultura sergipana, metade dos chachês pagos a artistas nacionais? O que mudaria na realidade local?

O Governo do Estado e a Prefeitura de Aracaju perpetuam uma relação de subserviência, jogando pelo ralo, verbas que serviriam para fomentar a cadeia produtiva local, permitindo às bandas e artistas sergipanos multiplicarem a sua produção.

Quando um artista nacional leva R$ 200 mil em cachê, além de todos os gastos com passagens aéreas, estada e alimentação, subtrai essa mesma quantia aos trabalhadores da cultura local, contribuindo para a escassez de recursos destinados à produção de novos álbuns, videoclipes, cenários, figurinos, divulgação, produção, que colocaria os artistas locais no mesmo patamar dos demais estados.

Enquanto se paga R$ 200 mil a um artista nacional, ao artista local, é imposto cachê que não chega a 10% disso. Uma discrepância absurda e injustificável. O suor do sergipano vale tanto quanto o de qualquer outro. Não há razão para nossos talentos receberem 20 vezes menos do que é pago a artistas de outros estados.

Importa muito esse dinheiro, sim, pois ele vai circular na nossa economia, remunerando o comércio especializado, os estúdios, fotógrafos, designers gráficos, profissionais da comunicação, músicos, técnicos e toda uma gama de profissionais que, hoje, fazem de Sergipe um estado com rica cena artística.

O cidadão, no encantamento pelos grandes nomes da música, deixa de perceber - até mesmo pela obscuridade que ronda as contratações - que temos gasto milhões de reais para sustentar esse tratamento desigual.

A hora é agora. O Serigy All Stars caminha de mãos dadas com outros coletivos e movimentos sociais, formais ou não, para estabelecer uma relação mais imediata com os demais cidadãos e se posicionar diante das políticas públicas vigentes e em fase de implementação. Já não nos conformamos com avanços pontuais, promovidos pelas últimas administrações, que protelaram a revolução anunciada, terminando por referendar a desigualdade.

A hora é agora. Hora de buscar o compromisso com os investimentos locais; hora de reduzir a quantidade desses grandes shows; hora de repensar valores de cachês pagos em festas públicas; hora de publicar com transparência os dinheiros pagos a cada artista, cada banda, cada empresa de produção. Hora de inserir o cidadão comum no benefício direto que a arte do seu lugar pode e deve lhe proporcionar. O cidadão tem o direito de ser informado dos valores de cachês de cada atração em todas as festas onde houver investimento público.

Hora de serem criados critérios para seleção e contratação desses artistas/bandas nacionais - assim como os locais -, dentro da lei, garantindo que haja rodízio, diversificação e valorização dos trabalhos que, promovendo o entretenimento, tenham também compromisso com o enriquecimento da arte aqui feita, para o bem e o fortalecimento da educação e da nossa identidade.

O grupo Serigy All Stars é o encontro de artistas que, a partir do lançamento de uma coletânea, vem se empenhando em discutir e propor uma atuação mais viva e vigorosa da música aqui produzida.

Esse coletivo de artistas que hoje se dirige à nossa população e pede seu apoio conta com nomes reconhecidos por crítica e público em Sergipe e inúmeros estados do País. Tendo vários discos gravados, prêmios recebidos, elogios públicos em grandes jornais e revistas do Brasil.

Nomes como The Baggios, Alapada, Patrícia Polayne, Naurêa, Elvis Boamorte e os Boavidas, Maria Scombona, Joésia Ramos, Ferraro Trio, Cataluzes, Reação, Cabedal, Snooze e muitos outros que, com sua música, levam o nome de Sergipe mundo afora, mostrando que nosso estado vive um momento histórico.

Estamos unidos e conscientes da necessidade de mudanças, começando pela transparência na escolha e remuneração de todos os contratados para as nossas festas públicas. Buscaremos incansavelmente a nossa imprensa, panfletaremos, publicaremos na internet nossas manifestações, até obtermos dos nossos gestores o compromisso de investimento com responsabilidade e coragem na produção artística do nosso estado.

Enquanto isso, continuaremos cantando para a população, pois, se é nela que nos inspiramos para fazer nossa arte, é a ela que devemos a entrega de tudo que construímos, em forma de música.

Parabéns, Aracaju.

Serigy All Stars

Nenhum comentário:

Postar um comentário